Tag: vacinação

3 jun por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Vacinação contra a gripe está liberada pra todo mundo

A partir desta segunda-feira (3), toda a população pode se vacinar contra a gripe, inclusive quem faz parte do público prioritário e que ainda não se vacinou. De acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação vai continuar enquanto durarem os estoques da vacina.

Até a última sexta-feira (31), quando terminou a campanha nacional, quase 80% do público prioritário foi vacinado, o que representa 47,5 milhões de pessoas. Os grupos prioritários tiveram entre os dias 10 de abril e 31 de maio para se vacinar com exclusividade.

Durante esse período, foram priorizados 59,4 milhões de pessoas, entre elas, gestantes, puérperas, crianças entre 6 meses a menores de 6 anos, idosos, indígenas, professores, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, além de profissionais de segurança e salvamento.

Até agora, seis estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (98,5%), Amapá (98,5%), Pernambuco (93,6%), Espírito Santo (91,3%), Rondônia (90,4%) e Maranhão (90%). Os estados com menor cobertura são: Rio de Janeiro (63,7%), Acre (73%) e São Paulo (73,1%).

Segundo o ministério, a escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença.

Fonte: Agência Brasil

3 set por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Vacina contra febre aftosa imuniza quase 100% do rebanho bovino

Quase todo o rebanho bovino brasileiro está imunizado contra a febre aftosa (98,33%). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou os relatórios sobre a vacinação do primeiro semestre de 2018. Em maio, a Organização Mundial de Saúde Animal declarou o Brasil como área livre de aftosa, com vacinação. O senador Cidinho Santos (PR-MT) ressalta que a certificação é resultado do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), que tem a meta de, até 2023, erradicar a doença do Brasil, sem a necessidade de vacinação. Ouça mais detalhes no áudio da repórter da Rádio Senado, Iara Farias Borges. [audio mp3="https://www.companhiadanoticia.com.br/wp-content/uploads/2018/09/0903D01-Iara-C_Santos-e-M_Lopes-Febre-Aftosa-Andre.mp3"][/audio]
3 set por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Campanha contra pólio e sarampo é prorrogada até dia 14 de setembro

Estados e municípios que ainda estão abaixo da meta de vacinar, pelo menos, 95% das crianças de um a menores de cinco anos contra pólio e sarampo, terão mais 15 dias para ofertar as duas vacinas na rede pública de saúde. O Ministério da Saúde prorrogou até dia 14 de setembro a Campanha Nacional de Vacinação. Até o momento, mais de 1,3 milhão de crianças não recebeu o reforço dessas vacinas. A recomendação é que estados e municípios façam busca ativa para garantir que o público-alvo da campanha seja vacinado. Até esta segunda-feira (3/9), 88% das crianças receberam as vacinas contra a pólio e o sarampo em todo o país. Segundo informado no sistema, Amapá, Santa Catarina, Pernambuco, Rondônia, Espírito Santo, Sergipe e Maranhão atingiram a meta de vacinação do Ministério da Saúde. Mas, doze estados ainda estão abaixo da média nacional de 88% das crianças vacinadas contra as duas doenças. O Rio de Janeiro continua com o menor índice de vacinação, seguido por Roraima, Pará, Piauí, Distrito Federal, Acre, Bahia, Rio Grande do Sul, São Paulo, Alagoas, Rio Grande do Norte e Amazonas. Em todo o país, foram aplicadas mais de 19,7 milhões de doses das vacinas (cerca de 9,8 milhões de cada). A Campanha deste ano é indiscriminada, por isso, todas as crianças nessa faixa etária devem se vacinar, independente da situação vacinal.
14 ago por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

18 de agosto: Dia D da Campanha de Vacinação contra a poliomielite e sarampo

O sábado, dia 18 de agosto, será o Dia D de mobilização para a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e contra o sarampo. A campanha teve início dia 6 e segue até 31 de agosto, realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Devem ser vacinadas crianças de um ano até quatro anos 11 meses e 29 dias. A campanha tem como objetivo manter elevada cobertura vacinal contra a poliomielite nos municípios, para evitar a reintrodução do vírus selvagem da poliomielite, bem como vacinar os menores de cinco anos de idade contra o sarampo e a rubéola, para manter o estado de eliminação dessas doenças.
6 ago por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Começa hoje Campanha contra a pólio e sarampo

A partir de hoje (6), crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 devem ser levadas aos postos de saúde para receber a dose contra a pólio e também contra o sarampo. O Dia D de mobilização nacional foi agendado para 18 deste mês, um sábado, mas a campanha segue até 31 de agosto. A meta do governo federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal nessa faixa etária, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, ou seja, pretende imunizar todas as crianças na faixa etária estabelecida. Isso significa que mesmo as que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço. No caso da pólio, crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida devem receber a VIP. As que já tomaram uma ou mais doses devem receber a VOP. E, para o sarampo, todas devem receber uma dose da Tríplice Viral – desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias. Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil / Brasília
1 ago por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Campanha contra sarampo e poliomielite começa dia 6

Famílias devem vacinar crianças de 1 a 5 anos contra sarampo e poliomielite entre 6 e 31 de agosto de 2018. É nesse período que ocorrerá a campanha de vacinação que prevê imunizar 95% desse público, isto é, mais de 11 milhões de crianças. O movimento é coordenado pelo Ministério da Saúde, com apoio da Organização Pan-americana da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) no Brasil e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) além de entidades da iniciativa privada. A representante da Opas/OMS no Brasil, Maria Dolores Pérez, afirma que o esforço não se restringe à nação e ao Estado brasileiro. “A Opas/OMS apoia a iniciativa do Ministério da Saúde no Brasil e consideramos que isso é uma prioridade não apenas aqui. Todos os países americanos estão fazendo esforços para continuar eliminando o surto de sarampo na região”, afirma. A queda na cobertura das vacinas contra sarampo e poliomielite em algumas regiões do Brasil é motivo de preocupação, segundo o Chefe de Comunicação e Parcerias da Unicef, Michael Klaus. “O País teve muito sucesso nas décadas passadas e agora precisamos de um esforço enorme — vacinar 95% do público-alvo — para resgatar essas conquistas. Vamos apoiar esse trabalho nos municípios, onde as vacinações ocorrem e que têm um papel muito importante”, garantiu. Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde
26 jul por João Ricardo Correia Tags:, ,

Brasil tem 822 casos confirmados de sarampo

Dados atualizados pelo Ministério da Saúde apontam que o Brasil registra 822 casos confirmados de sarampo, sendo 519 no Amazonas e 272 em Roraima. Ambos os estados têm ainda 3.831 casos em investigação. Casos considerados isolados foram confirmados em São Paulo (1), no Rio de Janeiro (14), no Rio Grande do Sul (13), em Rondônia (1) e no Pará (2). De acordo com o ministério, os dois surtos identificados no Norte e os demais casos no Sul e Sudeste estão relacionados à importação, já que foi comprovado que o vírus que circula no Brasil é o mesmo da Venezuela. “Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados”, destacou o Ministério da Saúde, por meio de nota. Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo e, atualmente, segundo o governo, empreende esforços para interromper a transmissão dos surtos. Para ser considerada transmissão sustentada da doença, um mesmo surto deve se manter por mais de 12 meses. Entre 2013 e 2015, o Brasil registrou surtos decorrentes de pacientes vindos de outros países, quando foram registrados 1.310 casos de sarampo – a maioria, em Pernambuco e no Ceará. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo será de 6 a 31 de agosto, com o chamado Dia D de Mobilização Nacional agendado para 18 de agosto. Todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem ser levadas aos postos de saúde – mesmo que já tenham sido imunizadas anteriormente. Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil / Brasília  
16 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

São Gonçalo inicia vacinação contra a febre aftosa nesta quinta

aftosavacina1 A Secretaria de Agropecuária e Desenvolvimento Agrário de São Gonçalo do Amarante vai iniciar, a partir desta quinta-feira (17), a segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa. A entrega das doses para criadores do município é realizada em parceria com o IDIARN (Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN) e EMATER (Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do RN). Nesta segunda etapa, a Secretaria Municipal de Agropecuária vai disponibilizar 2.000 doses da vacina para imunização do rebanho bovino. Na primeira etapa, realizada em maio deste ano, foram vacinados 1.600 animais, totalizando 3.600 doses distribuídas somente em 2016. A vacinação vai de 17 a 30 de novembro. Fonte: Secretaria de Comunicação e Eventos
2 maio por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Campanha de vacinação contra Influenza começa nesta segunda-feira

VACINAINFLUENZA_DIVULGACAOSMS A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Natal, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde e do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI), realiza a 17ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, no período 4 a 22 de Maio. O Dia “D” da campanha de imunização será realizado no dia 9 de maio, na Unidade da Estratégia da Saúde da Família (ESF) de Santarém, a partir das 8h. “Todas as unidade de saúde da Secretaria Municipal de Saúde estarão preparadas e abastecidas para a campanha. A expectativa é que consigamos atingir a meta do Ministério da Saúde que é de 80% do público alvo”, destacou a chefe do NAI, Solange Cruz. A campanha Influenza é destinada aos grupos prioritários com, crianças de seis meses até as menores de 5 anos de idade, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, adultos maiores de 60 anos, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Ao todo, 189.716 pessoas deverão ser imunizadas no município, sendo 49.363 crianças entre seis meses e menores de cinco anos de idade, 20.668 trabalhadores da saúde, 8.875 gestantes, 1.479 puérperas e 85.375 pessoas maiores de 60 pessoas. A chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis, Solange Cruz, pede que a população procure a unidade mais próxima das suas residências ainda na primeira semana. “É uma campanha muito importante e a população tem que ter consciência dessa importância e se imunizar". A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral que pode levar a complicações graves e até o óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).     Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação / Foto: Divulgação SMS
30 abr por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Campanha de vacinação contra gripe começa no dia 4 de maio

VACINA3a A chegada do inverno acende um sinal de alerta para doenças respiratórias, como a gripe. Pensando nisso, o Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (30) a Campanha de Vacinação contra a Gripe para 2015. A ação, que terá início no dia 4 de maio, disponibilizará 54 milhões de doses para a imunização de 49,7 milhões de brasileiros que fazem parte do grupo prioritário por ter maior risco de complicações por conta da doença. A meta é garantir a vacinação de 80% do público-alvo, 39,7 milhões de pessoas, até o fim da campanha, em 22 de maio. A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde protegerá a população contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).  O público-alvo da campanha é formado por crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; e os funcionários do sistema prisional. Também serão vacinadas pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde, além de ser respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, cujo principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. “O nosso objetivo com a Campanha de Vacinação é reduzir ao máximo as complicações causadas pela gripe. A vacina que oferecemos no SUS é muito segura e é fundamental para evitar internações, além de reduzir em até 75% o número de óbitos. Por isso, esta mobilização nacional se mostra decisiva para garantir a proteção da população mais vulnerável aos vários tipos de gripe presente no país", informou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. A vacina contra influenza é segura e uma das medidas mais eficazes de prevenção a complicações e casos graves de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza. Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, é fundamental realizar a imunização no período da campanha para garantir a proteção antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe vai de final de maio a agosto. Para a ação, estão sendo mobilizados em todo o país 240 mil profissionais, que atuarão em 65 mil postos de vacinação e contarão com o apoio de 27 mil veículos (terrestres, marítimos e fluviais). É importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação para receber a dose. As pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais também precisam apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, a meta de vacinação de 2014 foi alcançada, atingindo 86,7% do público-alvo. "É muito importante que este ano também consigamos alcançar esta meta de vacinar 80% de cada grupo prioritário", destacou. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica. CAMPANHA A 17ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe terá como Slogan “Contra a gripe, seu escudo é a vacinação” e reforça o conceito de proteção, além de explorar a imagem do escudo empunhado pelo Zé Gotinha, o personagem-símbolo da vacinação. Para a ação, que contará com filme para TV, spot para rádio, anúncio de revista, mobiliário exterior e peças para o ambiente online, o Ministério da Saúde investirá R$ 10 milhões. Também está previsto a realização de um Dia D, no dia 09 de maio, para a mobilização nacional, em parceria com estados e municípios. As vacinas contra a gripe foram adquiridas por meio da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre o Instituto Butantan e o laboratório privado Sanofi. O acordo, intermediado pelo Ministério da Saúde, permitiu que Instituto Butantan dominasse todas as etapas de produção da vacina. Foram investidos R$ 487,6 milhões na aquisição das doses para a campanha deste ano. MEDIDAS DE PREVENÇÃO A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal. Em caso de síndrome gripal, deve-se procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus, por isso, as medidas de prevenção são muito importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral, entre os meses de junho e agosto. Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe - especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações - devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração. REAÇÕES ADVERSAS Após a aplicação da vacina, podem ocorrer, de forma rara, dor no local da injeção, eritema e enrijecimento. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.  A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações.   Fonte: Por Carlos Américo, da Agência Saúde
22 abr por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

OMS: 22 milhões de crianças não receberam vacinas para prevenir doenças

VACINA3a Pelo menos 22 milhões de crianças no mundo, sobretudo de países subdesenvolvidos, não receberam as doses necessárias para serem imunizadas contra doenças que poderiam matá-las, estimou hoje (22) a Organização Mundial da Saúde (OMS). A advertência foi lançada na semana da imunização, que se comemora de 24 a 30 de abril, período em que a OMS pretende, entre outras ações, lembrar que as vacinas obrigatórias evitam anualmente a morte de 3 milhões de pessoas, sobretudo de menores. De acordo com a agência de saúde das Nações Unidas, a média mundial da imunização está em 80%, com grandes diferenças em nível de cobertura entre os países, pelo que se estima que a uma em cada cinco crianças não foram administradas as doses necessárias para prevenir doenças. “Uma em cada cinco crianças no mundo não recebeu as três doses obrigatórias da vacina antidiftérica, tétano, e a maioria vive nos países mais pobres do mundo”, diz a OMS. A organização aponta a Índia, o Paquistão, a Nigéria, a República Democrática do Congo, a Etiópia, e o Afeganistão como os países com taxas mais baixas de cobertura de vacinação. “É por essa razão que aproveitamos a celebração da semana da imunização para conscientizar sobre a importância crucial da vacinação para salvar vidas”, diz em nota o diretor a imunização da OMS, Jean-Marie Okwo-Belé.     Fonte: Agência Lusa / Foto: Divulgação SMS Natal
15 abr por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Campanha nacional de vacina contra influenza acontece de 4 a 22 de maio

VACINA3 A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) Natal, por meio do Setor da Vigilância Epidemiológica (SVE) e o Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI), se organiza para a 17° Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza no período de 4 a 22 de maio, tendo como ponto alto, Dia “D”, 9 de maio de 2015. A campanha Influenza é destinada aos grupos prioritários como crianças menores de 5 anos de idade (4 anos 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas; trabalhadores da saúde; adultos com 60 anos ou mais; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais ;população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A chefe do NAI, Solange Cruz fala sobre a da expectativa para esta campanha. “Esperamos este ano imunizar pelo menos, 80% do público alvo, que é a meta estabelecida do Ministério da Saúde. Os serviços de saúde da SMS estarão preparados para a campanha”. A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).   Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação
31 mar por João Ricardo Correia Tags:, , ,

SUS já vacinou mais de 50% das meninas no País contra HPV

Mais de 2,4 milhões de meninas já foram vacinadas contra HPV em todo o País nas três primeiras semanas da campanha, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira (31) pelo Ministério da Saúde. O número representa 58% da meta do Ministério da Saúde, que é vacinar 80% do público-alvo, o equivalente a 4,1 milhões de meninas na faixa etária de 11 a 13 anos. A vacina utilizada no Brasil é segura e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O ministro da Saúde, Arthur Chioro, considera positiva a cobertura vacinal nas primeiras semanas de implantação da vacina na rede pública. “Isso prova que a população está consciente sobre a importância desta vacina na proteção contra o câncer do colo do útero. Com a continuidade da mobilização nos estados, acredito que atingiremos a meta de vacinar 4,1 milhões de meninas”, afirmou. Os estados com maior adesão à vacina, até o momento, são: Santa Catarina com 85% (106 mil meninas vacinadas), São Paulo 80% (643 mil), Rio Grande do Sul 73% (151 mil), Espírito Santo 73% (53 mil) e Tocantins 73% (25 mil). O Ministério da Saúde recomenda que a primeira dose (de um total de três) seja aplicada nas escolas públicas e privadas que aderiram à estratégia iniciada no dia 10 de março. A vacina também está disponível nos 36 mil postos da rede pública de saúde durante todo o ano. A segunda dose será aplicada com intervalo de seis meses e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira dose. Segurança da vacina Usada como estratégia de saúde pública em 51 países, a vacina utilizada no Brasil é recomendada pela OMS e tem eficácia de 98% contra o vírus HPV. O Comitê Consultivo Mundial sobre Segurança das Vacinas, responsável por prestar assessoramento científico à OMS, atestou novamente a segurança da vacina contra o HPV, durante reunião realizada no dia 12 de março. Desde o lançamento da vacina contra o HPV, em 2006, mais de 170 milhões de doses foram aplicadas no mundo. Diversos estudos que monitoraram milhares de pessoas vacinadas na Austrália, Europa e América do Norte, excluíram a ocorrência de eventos adversos graves ou permanentes. Proteção Para o primeiro ano de vacinação, o Ministério da Saúde adquiriu 15 milhões de doses. A vacina utilizada é a quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos (6, 11, 16 e 18) do HPV, dos quais dois (subtipos 16 e 18) são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo. A vacinação é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. Ela não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos. Campanha O Ministério da Saúde iniciou em março a veiculação da campanha publicitária para orientar a população sobre a importância da prevenção contra o câncer do colo de útero em TV, rádios e jornais. Com o tema “Cada menina é de um jeito, mas todas precisam de proteção”, as peças convocam as adolescentes para se vacinar e alertam as mulheres sobre a prevenção. Estimativas indicam que 270 mil mulheres, no mundo, morreram devido ao câncer de colo do útero. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) prevê o surgimento de 15 mil novos casos e cerca de 4,8 mil óbitos, em decorrência da doença, apenas neste ano.   (Fonte: Portal Brasil)
23 ago por Henrique Goes Tags:, ,

Saúde: campanha de atualização de cadernetas de vacina começa neste sábado

Amanhã (24) será o dia de mobilização nacional da campanha para atualizar a caderneta de vacinação das crianças menores de 5 anos. A campanha se estende até o próximo dia 30. Todas as vacinas do calendário básico estarão disponíveis. O alerta para os pais é que a criança que não completar o esquema de cada vacina, não fica totalmente protegida. [caption id="attachment_14762" align="aligncenter" width="480"]vacininfancapa150813-300x225 Imagem de internet[/caption] A campanha vai mobilizar 34 mil postos fixos de vacinação, além dos volantes, e 350 mil profissionais de saúde. Ao levar as crianças aos postos de saúde é importante que os pais estejam com a caderneta de vacinação. Mesmo que não tenham o documento, os responsáveis não devem deixar de participar da campanha. Caso não haja no posto registro de quando a criança recebeu a última vacina, serão seguidos os protocolos de atualização de acordo com a faixa etária. As vacinas que estarão disponíveis nos postos são: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10-valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola, e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche). A ação ocorre em parceria entre o Ministério da Saúde, as secretarias estaduais e municipais de Saúde. As crianças poderão receber também a suplementação da vitamina A para crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos, que moram nas regiões Norte e Nordeste e em municípios prioritários do Plano Brasil sem Miséria. O complemento contribui para reduzir o risco de morte por diarreia e ajuda no desenvolvimento das crianças. Fonte: Agência Brasil
× Fale no ZAP