Tag: SEBRAE

17 mar por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jaime Calado recebe Prêmio Sebrae-RN Prefeito Empreendedor 2016

JAIMECALADOEMPREENDEDOR1_ISAIASCARLOS O prefeito de São Gonçalo do Amarante/RN, Jaime Calado, foi agraciado na tarde desta quinta-feira (17) com o IX Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Governador Cortez Pereira – Categoria Desburocratização e Formalização.  A Prefeitura de São Gonçalo apresentou o projeto “Desburocratização em Ação, Fomentando Negócios”, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo. A solenidade aconteceu no auditório do Sebrae-RN e contou com a presença do superintendente da instituição Zeca Melo, o senador Garibaldi Alves e outras autoridades. A premiação visa reconhecer prefeitos potiguares que tenham implantado projetos com resultados comprovados, ainda que parciais, de estímulo ao surgimento e desenvolvimento dos pequenos negócios e da modernização da gestão pública, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento econômico e social do município. Concorreram 47 municípios do Rio Grande do Norte finalistas  com projetos na etapa estadual da premiação, que leva o nome do governador Cortez Pereira. No estado, a premiação é dividida nas categorias: Melhor Projeto; Implementação e Institucionalização da Lei Geral; Compras Governamentais e Pequenos Negócios; Desburocratização e Formalização; Pequenos Negócios no Campo; e Inovação e Sustentabilidade. “Quero agradecer ao Sebrae que nos ensina pelo exemplo e nos inspira pelas ideias e pelo otimismo dos seus dirigentes, que criam um ambiente favorável às empresas e despertam em nós prefeitos a criatividade, e nós sabemos como é importante criar um clima favorável para a empresa existir. Toda vitória tem que ser com trabalho e para o trabalho, mesmo num momento difícil como o que estamos presenciando. Mas nós estamos aqui para agradecer e dizer que a criatividade do nosso povo, a responsabilidade dos homens e mulheres de bem vão superar essa crise. Essa chama de otimismo e esperança que o Sebrae espalha aqui vai inspirar essa e outras gerações para o país se torne melhor a partir dos municípios. Criado em 2001, o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, que ocorre a cada dois anos, é um instrumento para incentivar o desenvolvimento econômico dos pequenos negócios como prioridade na gestão pública, com a identificação, avaliação, valorização e disseminação de iniciativas realizadas nos municípios brasileiros e que geraram impacto positivo para o empreendedorismo local. Fonte: Secretaria de Comunicação e Eventos Com informações do Sebrae-RN Fotos: Isaías Carlos
4 out por João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Produtos orgânicos ainda são ignorados pelo mercado

ORGANICOS1_JOSE-CRUZ-ABR Uma feira de pequenos produtores neste sábado (3) ao Parque da Cidade, diversos produtos da área rural da região do Distrito Federal. A feira, que faz parte da campanha “Compre do Pequeno Negócio, busca divulgar a variedade de produtos, bem como mostrar que muitas vezes as pessoas desconhecem que existem micro e pequenos empresários produzindo com mais qualidade produtos usados no nosso dia a dia. A ação faz parte das comemorações do Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa (5 de outubro), e trouxe para a população maior divulgação da produção rural do DF. O objetivo é mostrar que a valorização do pequeno negócio é benéfica para a vizinhança contribuindo para a qualidade de vida e preservação do meio ambiente. Cerca de 70 famílias participaram da feira que trouxe uma variedade de produtos hortifrutigranjeiros: mel, plantas ornamentais, sucos, pães, cafés, entre outros. É o caso do chef de cozinha, Bruno Álvaro, de 23 anos, que estava divulgando o mel e outros produtos comercializados pela apícola do seu pai. Segundo Bruno, muitas vezes a população desconhece a produção, porque os pequenos produtores não têm como fazer uma propaganda  mais abrangente. “Espaços como esse [da feira] ajuda a divulgar a produção, muitas vezes o produtor não tem dinheiro para gastar com propaganda, o que dificulta tornar o seu produto conhecido e mesmo as pessoas que moram perto ficam sem saber que exite”, disse à Agência Brasil. Ele lembra ainda que a produção local merece ser mais valorizada porque traz para a população produtos da região. Para a feira, além do mel, geléia real, extrato de própolis, o apiário do pai de Bruno também trouxe duas novidades: pão de mel e uma granola especial produzida sem a adição de açúcar. “Muitas vezes temos produtos bem mais saudáveis que os industrializados, mas a população não tem alcance, por isso esse espaço é importante,” disse. “Eu mesmo faço receitas com base em produtos do Cerrado. Para a feira  trouxe cookies de granola e mel, e outros pratos com produtos do cerrado, como o pequi e o tamarindo”, ressaltou. De acordo com o Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae), o Brasil possui mais de 10 milhões de micro e pequenos empreendedores, que faturam no máximo R$ 3,6 milhões por ano. Juntos eles respondem por 52% dos empregos formais no país e ainda ajudam na geração de renda. É o caso da dona de casa Maria de Fátima Araújo, que estava na feira ajudando na venda de mel. Ela argumenta que a atividade ajuda a manter o dinheiro circulando na vizinhança e sempre que eventos como este ocorrem, ela consegue uma renda extra. “Às vezes as pessoas pensam que não existem esses produtos perto de casa, eu venho aqui ajudar os amigos na divulgação e ainda consigo ganhar um dinheirinho.” Pequenos negócios valorizados movimentam o comércio local e promovem o desenvolvimento social, representando mais de 95% do total de empresas brasileiras. Por isso, de acordo com o Sebrae a maior parte das atividades dos micro e pequenos empreendedores se concentra no Comércio (44%) e na prestação de serviços (35%). Somadas as outras atividades, eles ajudam a dar maior dinamicidade a economia e respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB). Para o produtor Valdaci de Freitas que participa pela primeira vez de uma iniciativa como essa, a experiência de divulgação tem sido positiva. Ao lado da filha, ele produz mandioca, em Brazlândia. O produto é embalado à vácuo, antes de ser comercializado. “Estamos aprimorando para oferecer melhor qualidade. Nosso produto já não leva agrotóxicos, mas a gente precisava melhorar a embalagem. Para atingir um público maior. Começamos a fazer isso há pouco tempo, essa aqui está sendo a nossa primeira experiência e o resultado tem sido muito satisfatório.” A nova embalagem foi aprovada pelo funcionário público Arnaldo Souto Ribeiro que comprou 2,5 kg do produto. Segundo ele, a família adora comer mandioca cozida.” É muito bom poder comprar diretamente de quem produziu, a gente fica com mais confiança no que está levando. Quando chegar em casa, vou colocar para cozinhar  e comer com a família”. O produtor rural Carlos Caetano, defende os produtos agrícolas de pequenos produtores por agredirem menos o meio ambiente. Dono de uma propriedade de 165 hectares, em Santo Antônio do Descoberto, no entorno do DF, onde produz café e frango orgânico, ele defende a pequena produção como uma alternativa para diminuir o impacto ambiental de grandes cultivos. Em sua propriedade, ele cultiva café em regime agroflorestal, associando a agricultura e criação de animais (no caso frango e algumas cabeças de gado) com árvores, de maneira a combinar a produção e conservação dos recursos naturais. O Café, da variedade Catuaí é cultivado no sombreado e também irrigado. Desde o plantio, até a colheita, todo o processo é feito com o mínimo de impacto ao meio ambiente e também voltado para garantir ao máximo o aroma e o sabor dos grãos que só são torrados e moídos quando há demanda de compra. “Estou convencido que o alimento [industrializado] que estamos ingerindo está muito ruim. Somo campeões no uso de agrotóxicos e, como mostram muitas pesquisas, isso não faz bem para a saúde. Comecei a produzir de maneira orgânica porque penso que temos a obrigação de produzir um alimento mais saudável, aliando a isso a preservação da natureza”, disse à Agência Brasil. Único produtor de frango orgânico certificado na Região Centro-Oeste, Caetano reclama que os produtos orgânicos ainda são ignorados pelo mercado, que investe na massificação. Segundo ele, atualmente o frango orgânico produzido em sua fazenda custa mais ou menos o dobro do frango industrializado. Ele argumenta que os pequenos produtores, em especial os que trabalham com produção orgânica não recebem nenhum tipo de isenção de imposto ou estímulo para a produção, o que contribui para que a diferença de preço seja maior. No caso do frango, Caetano disse à Agência Brasil que está trabalhando para reduzir essa diferença para 30% em até quatro anos. “Diferentemente dos animais de granjas industrializadas que são criados em ambiente artificial e estimulados a se alimentarem 24h por dias, os nossos frangos são criados próximos do natural, com ração orgânica e tratados com fitoterapia para prevenir enfermidades, só administramos as vacinas obrigatórias. Todo o processo segue o que determina a legislação”, disse. Ainda de acordo com o produtor, a iniciativa, mesmo que sem muito apoio, está voltada para o desenvolvimento de novas tecnologias e de parcerias. Uma delas é com o abatedouro das aves, também certificado, e no desenvolvimento da embalagem para o café, que possui uma válvula unidirecional que expele o gás carbônico produzido naturalmente pelo café, mas evita a entrada de oxigênio e, consequentemente da oxidação do produto, o que levaria à perda das características, como aroma e sabor. Ele defende ainda que o governo deveria ampliar os recursos voltados para a pesquisa de tecnologias envolvendo a produção orgânica. “Se não há investimento, a gente não tem o desenvolvimento de tecnologias adequadas para a produção, o que torna o risco do negócio maior. Mas, na medida em que você tenha mais produtividade, mais produtores envolvidos, um aumento na pesquisa, você diminui o custo”, ponderou.   Fonte: Agência Brasil Foto: José Cruz - Agência Brasil
29 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Empresas têm até amanhã para aderir ao Supersimples

SUPERSIMPLES Empresários que pretendem migrar para o Simples Nacional ainda este ano devem ficar atentos. O prazo final para solicitar a opção por esse regime fiscal encerra nessa sexta-feira (30). Todo o processo está sendo feito exclusivamente pela internet, através do portal do Simples Nacional. Mas, para aderir, é preciso que a empresa em atividade não tenha nenhuma pendência tributária, senão o pedido será revogado. Caso o pedido de alteração seja aceito, a mudança retroagirá ao dia 1º de janeiro. Se perder o prazo, a migração só poderá ser feita no início de 2016. Até dezembro passado, o Rio Grande do Norte possuía mais de 118 mil empresas inserida nesse sistema tributário. A principal vantagem é que o Simples Nacional reduz, em média, a carga tributária em 40% para os empreendedores. No entanto, o Supersimples é importante também porque desburocratiza o processo de pagamento de tributos, já que unifica oito impostos em um único boleto, para as micro e pequenas empresas (aquelas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano). O sistema envolve os seguintes tributos: IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Patronal Previdenciária para a Seguridade Social (CPP). O recolhimento é feito por um documento único de arrecadação que deve ser pago até o dia 20 do mês seguinte àquele em que houver sido auferida a receita bruta. De acordo com a analisa da Unidade de Orientação Empresarial do Sebrae no Rio Grande do Norte, Grasielly  Alves, a expectativa é que a procura aumente até lá. Isso porque, a partir deste ano, 140 novas atividades, sobretudo do setor de serviços, vão poder migrar - embora a adesão não seja vantajosa para todas as situações. Para auxiliar na decisão, o Sebrae elaborou uma calculadora que cruza os dados e indica se é viável e simula quanto o empreendedor vai pagar de tributos. O empresário poderá procurar ajuda na simulação em um ponto de atendimento da instituição em Natal ou no interior do estado – nas cidades de Assu, Caicó, Currais Novos, Mossoró, Nova Cruz, Pau dos Ferros e Santa Cruz. CRITÉRIOS Poderão optar pelo regime microempresas – as que faturam entre R$ 60 mil e R$ 360 mil por ano – e  empresas de pequeno porte, cuja receita bruta anual varie na faixa entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões, desde que não incorram em nenhum vedações estipuladas pela Lei Complementar 123/2006, também chamada de Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. A análise da solicitação é feita pela União, por estados e municípios em conjunto. Portanto, a empresa não pode ter pendências com nenhum ente federativo. Para solicitar, é preciso acessar o Portal do Simples Nacional (www.receita.fazenda.gov.br/simplesnacional/), clicar em Simples e escolher a opção serviços. Em seguida, acessa  o item Solicitação de Opção pelo Simples Nacional.  Até a sexta-feira, também será permitido o cancelamento da solicitação da Opção pelo Simples Nacional, exceto se o pedido já tiver sido deferido. O cancelamento não é permitido para empresas em início de atividade. O contribuinte pode acompanhar o andamento e o resultado final da solicitação em Acompanhamento da Formalização da Opção pelo Simples Nacional. As empresas que já são optantes não precisam fazer uma nova opção a cada ano. Uma vez que aderiu, a empresa somente sairá do regime quando excluída, por opção, por comunicação obrigatória ou de ofício.   Fonte: Agência Sebrae de Notícias
17 jul por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Prêmio Sebrae Mulher de Negócios prorroga inscrições

São Paulo - A mulher moderna que concilia a gestão da própria empresa e a rotina familiar tem a chance de ter sua história de vida reconhecida na décima edição do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. As interessadas podem se inscrever pelo site www.mulherdenegocios.sebrae.com.br ou nos escritórios regionais do Sebrae em São Paulo até 16 de agosto. A iniciativa premia relatos inspiradores de empreendedoras que transformaram seus sonhos em realidade e hoje são exemplos para outras mulheres que desejam seguir o mesmo caminho. São três categorias: Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual. “O prêmio é o reconhecimento ao esforço de mulheres batalhadoras que construíram uma trajetória de sucesso e que incentivam outras profissionais a empreenderem, promovendo a igualdade no mercado de trabalho”, afirma Bruno Caetano, superintendente do Sebrae em São Paulo. As vencedoras estaduais de cada categoria recebem troféu, certificado, selo de premiação e curso de empreendedorismo e disputam a etapa nacional, em Brasília. Nessa fase, a campeã de cada categoria ganha uma viagem internacional a um país que se relaciona à área de atuação da empreendedora. O prêmio é uma parceira do Sebrae, Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW) e Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).   (Fonte: Agência Sebrae de Notícias)
8 jul por Henrique Goes Tags:, ,

GOVERNO DO RN E SEBRAE FIRMAM PARCERIA EM PROJETO ‘COMPRAS GOVERNAMENTAIS’

O Governo do Estado em parceria com o Sebrae/RN definiu os principais eixos para execução do projeto Compras Governamentais que incentiva o acesso dos micro e pequenos empresários ao fornecimento para administração pública. Regulamentada por Lei Complementar Federal 123, as compras governamentais beneficiarão empresas de diferentes segmentos em todo o Rio Grande do Norte. Para implantar o programa no âmbito estadual o Governo e o SEBRAE/RN atuarão em sete eixos: articulação, informações, regulação, mobilização, capacitação, acesso ao mercado e gestão do projeto. Atuando já no eixo de informações, a Secretaria de Estado da Administração e Recursos Humanos (SEARH) e o SEBRAE/RN iniciam nos próximos dias o trabalho para mapeamento de demandas dos órgãos e a identificação de pequenos negócios de fornecedores. [caption id="attachment_11763" align="aligncenter" width="430"]crescimento Imagem de internet[/caption]

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Rogério Marinho, disse que as Compras Governamentais garantirão ao empreendedor local a possibilidade de disputar em igualdade diversas licitações estaduais. “Com as compras governamentais, os empreendedores terão a oportunidade de ampliar negócios com o fornecimento de produtos e serviços para o Estado, além de contribuírem para dinamização da economia local”. Durante a reunião entre Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Secretaria de Administração, Tribunal de Contas, Agência de Fomento (AGN), SEBRAE/RN, SEBRAE Nacional, a Companhia de Águas e Esgotos do RN (CAERN) foi apresentada como um case para proposta de desenvolvimento de pequenos fornecedores. De acordo com o superintendente do SEBRAE/RN, Zeca Melo, o banco de dados da instituição já possui 1.050 Micro e Pequenas Empresas cadastradas com capacidade para fornecer ao Governo e na fase inicial será possível capacitar 28 turmas de compradores públicos, 14 turmas de empresários, além de 15 turmas de negócios para aquisição sustentável. O valor inicial do projeto que incentivará também a fixação de renda e riqueza no estado é de R$ 1,4 milhão com recursos do SEBRAE nacional e RN.

Fonte: Assessoria Sedec/RN

× Fale no ZAP