Tag: Rio de Janeiro

14 fev por João Ricardo Correia Tags:, ,

Menina de 11 anos morre baleada com tiro no peito

Uma menina de 11 anos morreu baleada hoje (14), com um tiro no peito, no bairro da Triagem, na zona norte do Rio de Janeiro. Segundo informações da Polícia Militar, ela foi socorrida por policiais militares e levada para o Hospital Salgado Filho, onde já chegou morta.

Em nota a Secretaria de Estado da Polícia Militar, divulgou que a informação foi passada pelo comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar (Méier), tenente-coronel Luiz Octávio Lopes. Segundo o coronel, ao chegarem ao local os policiais viram pessoas carregando uma criança ferida. Na sequência, de acordo com a secretaria, a equipe prestou socorro à menina e a encaminhou para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, também zona norte da cidade.

Moradores acusaram policiais militares pelo ferimento da menina e fizeram uma manifestação em ruas do bairro. Um ônibus chegou a ser queimado próximo ao local. 

13 fev por João Ricardo Correia Tags:,

Bibi Ferreira morre aos 96 anos no Rio de Janeiro

A atriz, cantora e diretora Bibi Ferreira, de 96 anos, morreu hoje (13) de enfarte em sua casa, no Rio de Janeiro. Segundo o empresário da atriz, Nilson Raman, Bibi reclamou de falta de ar e, no momento seguinte, já não respirava.

“A gente sabia que, em algum momento, isso chegaria, porque faz parte do jogo. A saudade existirá sempre, mas talvez a qualidade de vida que Bibi tivesse ali não fosse a melhor do mundo para ela também. Às vezes, a gente, de forma egoísta, se prende muito em querer a pessoa sempre ali, mas tem que entender se a pessoa está bem naquilo que está vivendo”, disse Raman à Agência Brasil .

O empresário lembrou que, em nota divulgada em setembro do ano passado, Bibi comunicou sua saída da vida pública. Em seu perfil em uma rede social, Bibi, que era chamda de grande dama do teatro escreveu: "Nunca pensei em parar, essa palavra nunca fez parte do meu vocabulário, mas entender a vida é ser inteligente. Fui muito feliz com minha carreira. Me orgulho muito de tudo que fiz. Obrigada a todos que de alguma forma estiveram comigo, a todos que me assistiram, a todos que me acompanharam por anos e anos. Muito obrigada! Bibi”.

8 fev por João Ricardo Correia Tags:, ,

Operação para combater guerra entre facções deixa 14 mortos no Rio

Uma ação de tropas de elite da Polícia Militar, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque resultou na morte de 14 pessoas em comunidades em Catumbi e em Santa Tereza. A operação, realizada hoje (8), ocorreu devido a uma guerra entre facções rivais que lutam pelo domínio do tráfico de droga, iniciada na quarta-feira (6), nas comunidades da Coroa, Fallet e Fogueteiro, no bairro do Catumbi, e do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa.

Numa casa na Rua Eliseu Visconti, no morro da Fallet, estavam escondidos mais de dez pessoas. Policiais do Choque receberam uma informação passada pelo Disque-Denúncia de que o local era um esconderijo de homens ligados ao tráfico de drogas.

Os criminosos reagiram à voz de prisão e atiraram contra os militares. No confronto, 13 bandidos ficaram feridos e foram levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, na região central da cidade. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 13 pessoas que estiveram em confrontos com a PM chegaram mortos ao hospital, sendo que um 14º morreu em seguida e mais dois estão sendo socorridos na unidade de saúde.

8 fev por João Ricardo Correia Tags:, ,

Vasco e Botafogo manifestam solidariedade ao Flamengo

Incêndio no centro de treinamento do Flamengo deixa dez mortos

O clube de futebol Fluminense divulgou hoje (8) nota de solidariedade ao seu rivalo Flamengo, após ser noticiado do incêndio ocorrido nesta madrugada no centro de treinamento do time rubro-negro. O incêndio no alojamento da equipe deixou pelo menos dez mortos e três feridos, segundo as últimas informações. 

"Hoje não há clima para treino. As atividades do dia foram canceladas. Jogadores e membros da comissão técnica se solidarizam com as vitimas e familiares da tragédia que aconteceu no Ninho do Urubu", escreveu o time tricolor, em seu perfil no Twitter, decretando luto oficial de três dias. 

A tragédia sensibilizou, de igual modo, a equipe do Vasco da Gama, também sediada no Rio de Janeiro. "O CRVG [Club de Regatas Vasco da Gama ] lamenta profundamente o trágico incêndio no CT [Centro de Treinamento] do Flamengo. A Direção Administrativa manifesta pesar e solidariedade aos familiares das vítimas, bem como à Direção e a todos os atletas do CRF [Clube de Regatas do Flamengo]. Colocamo-nos à disposição para auxiliar no que for necessário. #ForçaFlamengo", disse, em postagem também publicada no Twitter.

Na mesma rede social, o Botafogo lamentou o acontecimento, dizendo que "hoje não tem rivalidade, não tem disputa, não tem vitória". "Estamos todos derrotados e a dor é muito grande. Força ao @Flamengo, às vítimas e a todas as famílias das pessoas envolvidas na tragédia do Ninho do Urubu. #ForçaFlamengo", acrescentou.

Em respeito às vítimas, a partida que seria disputada amanhã (9), às 19h, entre Flamengo e Fluminense, no Maracanã, foi cancelada. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) deve definir, com os dirigentes dos dois clubes, uma nova data para o jogo. A reunião está marcada para hoje, no período da manhã.

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil / Brasília

23 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente

O ator Caio Junqueira morreu no início da manhã de hoje (23) depois de ficar uma semana internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. O artista sofreu um acidente automobilístico no dia 16 de janeiro, no Aterro do Flamengo, também na zona sul.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele estava internado no centro de tratamento intensivo (CTI) e morreu vítima de complicações do acidente. O ator tinha passado por uma nova cirurgia na última segunda-feira (21).

Caio Junqueira tinha 42 anos e trabalhou em várias novelas e séries televisivas. Também interpretou o aspirante Neto, no filme Tropa de Elite, lançado em 2007.

Por Vitor Abdala - Repórter da Agencia Brasil / Rio de Janeiro

17 jan por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Antes da intervenção, governo Temer planejou transformar Rio de Janeiro em território federal

Antes de decretar intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, o governo Michel Temer (FOTO) cogitou transformar a capital fluminense em território federal. Documentos internos do Ministério da Justiça a que a ConJur teve acesso mostram que o governo estudou uma proposta de emenda à Constituição para federalizar a cidade.

Em fevereiro de 2018, a pasta, à época comandada por Torquato Jardim, discutiu soluções para a escalada da criminalidade no Rio. Para Torquato, carioca, o estado do Rio de Janeiro estava completamente falido: havia acabado de entrar em regime de recuperação fiscal e já não conseguia pagar seus servidores.

O reflexo inicial do Ministério da Justiça ao ouvir a ideia de decretar a intervenção no Rio foi "não é o caso". E por dois motivos: pela impossibilidade de alterar a Constituição enquanto durar a medida e pelo custo político de promover a primeira intervenção federal desde a promulgação da Constituição, em 1988.

Leia reportagem completa:
https://www.conjur.com.br/2019-jan-16/antes-intervencao-temer-estudou-transformar-rio-territorio

15 jan por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Rapaz de 19 anos é morto durante tiroteio entre PMs e bandidos

Felipe estava na frente da casa da namorada, quando foi atingido

Felipe de Lima Feitoza, 19 anos, foi morto na frente da casa da namorada, que ficou ferida, em meio à troca de tiros entre bandidos e PMs na Rua Laurindo Lima, em Cavalcanti, Zona Norte do Rio de Janeiro. Sua mãe, Terezinha de Lima, é natura de Várzea, no RN, e seu pai, Fortunato Feitoza, nascido no Conde, na Paraíba. Felipe era filho único. A família mora há mais 30 anos na cidade do Rio de Janeiro. O jovem é sobrinho de José Adailton de Lima, servidor da Prefeitura de Várzea.

Segundo o jornal O Globo, o caso aconteceu por volta das 02h30 da manhã de domingo, 13. Felipe de Lima Feitoza foi atingido no peito. A bala atravessou pela axila dele e pegou a coxa em Isabele dos Anjos Nascimento Bastos, de 31 anos. Os dois foram levados para o Hospital municipal Salgado Filho, no Méier, também na Zona Norte da cidade. Ele não sobreviveu aos feridos. Ela foi atendida e liberada com o projétil alojado na perna.

7 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Rio registra segunda morte de policial militar este ano

Menos de 48 horas após a morte do soldado Daniel Henrique Mariotti, de 30 anos, assassinado no último sábado (5), o estado do Rio de Janeiro registra a segunda morte de policial militar por criminosos este ano. O soldado Miquéias Marinho Ribeiro, de 31 anos, foi assassinado a tiros na manhã desta segunda-feira (7), perto de casa, na localidade Primavera, no bairro de Engenho Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. Segundo informações da corporação, Ribeiro era lotado no 16º Batalhão de Polícia Militar, localizado em Olaria, na zona norte da cidade. Em nota, a Polícia Militar (PM) lamentou a morte. "O policial estava saindo para o serviço, próximo a sua residência, quando foi surpreendido por criminosos armados em Engenheiro Pedreira, na Baixada Fluminense. Os criminosos efetuaram disparos e fugiram. O militar foi socorrido para a Policlínica Itália Franco, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos”, informa a PM. Segundo a nota, Ribeiro estava na corporação desde 2013. Até o momento, não há informações sobre horário e local do sepultamento. Pai escutou os disparos O pai do PM chegou a escutar os disparos feitos por homens que estavam em um veículo que passou pelo local em velocidade. Ele correu para ver o que estava acontecendo e encontrou o filho já baleado dentro do carro, um Fiat Siena prata. Socorrido ainda com vida, Ribeiro chegou a ser levado para a Policlínica Itália Franco, no bairro Santa Inês, mas não resistiu aos ferimentos. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) realiza perícia no local, mas até agora não se sabe a motivação do crime. Por Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil / Rio de Janeiro
3 jan por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Governador do RJ diz que vai tratar como terrorista criminoso que usar fuzil

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (FOTO), reafirmou hoje (3) que tratará como terrorista qualquer um que portar fuzil ou armas de grosso calibre sem estar uniformizado. Em discurso durante a solenidade de posse do secretário de Polícia Militar, Rogério Figueredo, no Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Witzel voltou a defender uma política de enfrentamento por parte da polícia, e garantiu que o combate ao crime organizado se dará de forma muito dura. “Tenho dito ao longo da minha campanha: quem usa um fuzil e não está envergando um uniforme é inimigo, quem usa um fuzil e quer dominar um território é um terrorista, e assim será tratado”. Segundo Witzel, o estado colocará a Defensoria Pública a serviço da tropa, deixando claro que policiais envolvidos em casos de mortes em confronto terão ampla defesa. “A Defensoria Pública do estado vai estar de forma intransigente ao lado de todo e qualquer policial que, no exercício de sua atividade, precisar de defesa judicial. Não temam. O estado estará junto com os senhores para protegê-los e defendê-los em qualquer instância. Não temam, ajam, treinem e executem a sua missão com tranquilidade. Vocês serão defendidos”. Secretaria O governador anunciou que a Secretaria de Polícia Militar vai criar o Departamento de Combate a Homicídios. “Nós vamos aparelhar a secretaria com equipamentos e policiais para investigar quem quer que ouse atingir um policial das forças de segurança do estado. Seja ele do Corpo de Bombeiros ou da Secretaria de Administração Penitenciária. Vamos investigar, prender e punir quem ousar desafiar a lei em nosso estado”, alertou. Por Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil / Rio de Janeiro
28 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Crivella proíbe fogos de artifício com som acima de 85 decibéis

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (FOTO), decidiu proibir a fabricação, comercialização e uso de fogos de artifício cujo som ultrapasse 85 decibéis. O decreto está publicado no Diário Oficial do município de hoje (28), em edição extraordinária. Entre os motivos para tomar tal medida, o prefeito levou em consideração a opinião de médicos que acreditam ser prejudicial à saúde de pessoas e animais, inclusive com risco de perda auditiva irreversível, qualquer explosão intensa desses artefatos acima do limite imposto. O texto estabelece uma única exceção: só está permitido o uso de fogos de artifício acima de 85 decibéis em eventos com patrocínio do Poder Público, quando a explosão se der a partir do mar. A medida não afeta o espetáculo de fogos no réveillon. Também poderão ser utilizados artefatos comprados antes da publicação do decreto, pelo prazo de até seis meses, desde que comprovado por meio de nota fiscal. Quem descumprir o decreto ficará sujeito à notificação, apreensão e multa no valor de R$ 500. No caso de pessoa jurídica, a multa passa a ser de R$ 5 mil, dobrando sucessivamente em cada reincidência. O estabelecimento pode ainda ser interditado parcial ou totalmente, além de ter o alvará de licença cassado, a partir da terceira reincidência. Durante esse réveillon, a Guarda Municipal vai atuar de forma educativa e não punitiva, orientando as pessoas que usarem fogos de artifício sobre as novas regras. Por Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil / Rio de Janeiro  
28 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Toffoli autoriza cárcere especial para Pezão após fim de mandato

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (FOTO), poderá permanecer preso em um Batalhão da Polícia Militar no próximo ano, mesmo após concluir o mandato. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, atendeu ao pedido da defesa e autorizou o cárcere especial para o governador, que iria para um presídio comum em janeiro. Segundo a defesa de Pezão, a permanência do governador no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, em Niterói, é necessária para evitar riscos à integridade física de Pezão. Os advogados também haviam pedido a soltura do governador, mas Toffoli, que está de plantão no STF durante o recesso do Judiciário, negou a libertação. A partir de fevereiro, quando o Supremo retoma os trabalhos, o processo de Pezão volta para o relator, ministro Alexandre de Moraes. Preso em novembro na Operação Boca de Lobo, um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, Pezão é acusado de receber R$ 39 milhões em propina. A prisão foi determinada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), com base na delação de um ex-operador do esquema de corrupção do ex-governador Sérgio Cabral. Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil / Brasília
14 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes completam 9 meses

Os assassinatos da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL), que cumpria o primeiro mandato, e do motorista Anderson Pedro Gomes, completam hoje (14) nove meses ainda à espera de solução. Eles foram mortos na noite de 14 de março deste ano, no bairro do Estácio, na região central do Rio. Ambos foram alvejados quando voltavam para casa, de carro, na Tijuca, após participar de evento na Lapa. Os tiros foram disparados de outro veículo. Ontem (13), o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que o assassinato "pesa" sobre o Brasil e sobre a imagem do país no exterior. Segundo ele, as investigações iniciadas no mês passado para apurar possíveis interferências no inquérito conduzido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro estão indo "muito bem". Também ontem foram cumpridos mandados de prisão e apreensão no Rio de Janeiro e Juiz de Fora, em Minas Gerais. A apuração dos mandantes e executores dos homicídios é conduzida pela Polícia Civil e pelo Ministério Público. Democracia De acordo com Jungmann, ele gostaria de entregar ainda este ano, antes de deixar o ministério, os resultados da investigação. “Então atingir Marielle foi também atingir a democracia. E isso, para mim, é um valor absoluto. Por isso, sim, eu gostaria muito de poder apresentar resultados o mais breve possível, se possível também ainda durante a nossa gestão", afirmou o ministro. Oriunda da Favela da Maré, zona norte do Rio, Marielle Franco tinha 38 anos. Era socióloga, com mestrado em administração pública, e ficou conhecida pela militância na área dos direitos humanos. Por Agência Brasil / Brasília
6 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Polícia faz operação contra lavagem de dinheiro em escola de samba

Policiais civis cumprem hoje (6) 11 mandados de busca e apreensão contra integrantes da escola de samba Acadêmicos do Grande Rio, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os agentes investigam, junto com integrantes do Ministério Público do Rio de Janeiro, um grupo suspeito de atuar na exploração ilegal de jogos na região e na prática de lavagem de dinheiro. Segundo a Polícia Civil, os alvos da operação são o presidente de honra da Grande Rio, Antônio Jaider Soares da Silva, e mais quatro suspeitos, Leandro Jaider Soares da Silva, Dagoberto Alves Lourenço, Paulo Henrique Melo Rufino e Yuri Reis Soares. Além da busca e apreensão, estão sendo cumpridos o bloqueio e sequestro de bens dos investigados no valor de R$ 20 milhões. As equipes também estão fazendo buscas na quadra da Escola de Samba Grande Rio, em Duque de Caxias, e no seu barracão, na Cidade do Samba, no centro da cidade do Rio de Janeiro. De acordo com as investigações, Antônio Jaider é apontado como chefe da organização criminosa, sendo responsável por controlar a exploração de jogos de azar em Duque de Caxias. Ele também figura como sócio de empresas ao lado do filho, Yuri Soares Reis, e do sobrinho, Leandro Jaider Soares da Silva. Os dois são investigados como braços operacionais da quadrilha na operação de lavagem de capitais e no controle financeiro da organização.
4 dez por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Operação Calicute: pena de Cabral aumenta para 45 anos e 9 meses

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (FOTO) teve sua pena aumentada, em segunda instância, em sete meses, totalizando agora 45 anos e 9 meses. O julgamento, referente à Operação Calicute, foi nesta terça-feira (4), na 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2a Região (TRF2). Já a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo teve a pena reduzida de 18 anos e 3 meses, na primeira instância, para 12 anos e 11 meses. Adriana poderá voltar para a prisão em regime fechado, assim que se esgotarem os recursos. O ex-secretário de Governo Wilson Carlos foi condenado a 18 anos e um mês de prisão e Hudson Braga, que atuou na Secretaria de Obras, pegou pena de 18 anos e quatro meses. Carlos Miranda, que era assessor de Cabral e foi o principal delator do esquema, foi condenado a 20 anos e seis meses, mas será beneficiado pela colaboração com a Justiça.
1 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Bolsonaro não vai prorrogar intervenção federal no Rio

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse ontem (30) que não vai prorrogar a intervenção federal no Rio de Janeiro. “Eu assumindo, não a prorrogarei”, enfatizou após participar da formatura de sargentos da Aeronáutica em Guaratinguetá, interior paulista. Bolsonaro disse que só permitirá que forças federais continuem a atuar na segurança pública se houver garantias que dificultem que esses agentes sejam processados por mortes em ações. Conforme o decreto em vigor, a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro deverá se encerrar em dezembro. Uma eventual prorrogação dependeria de um novo decreto a ser assinado por Bolsonaro após sua posse. “Eu quero uma retaguarda jurídica para as pessoas que fazem a segurança em nosso Brasil. Não posso admitir que os integrantes das Forças Armadas, da Polícia Federal, depois do cumprimento da missão respondam a um processo”, acrescentou ao dizer que só dará suporte federal dentro da previsão da Garantia da Lei e da Ordem com apreciação do Congresso Nacional. Mais tarde, em uma entrevista a emissoras católicas na sede de Canção Nova, Bolsonaro detalhou o que pensa sobre o assunto. “O que é a retaguarda jurídica? É a certeza que o homem que tem uma arma à sua disposição, caso seja obrigado a utilizá-la, no final da missão ele tenha a paz e a tranquilidade que não será submetida a uma auditoria ou tribunal do juri”, disse ao ser perguntado sobre o tema. O presidente eleito destacou que a segurança será um dos temas caros ao seu governo. “A segurança indo bem, o Brasil vai bem nos demais setores: economia, turismo, entre outros. E o que nós temos que fazer é uma legislação que iniba realmente as pessoas de cometer crime”, acrescentou. Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil / Cachoeira Paulista (SP)
× Fale no ZAP