26 fev por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

BB Estilo: banco estatal paparica os ricos e os pobres que se…

BBESTILO Há um antigo ditado popular que garante: "você vale o que você tem". Muito bem. Segundo o site Wikipedia, o "Banco do Brasil S.A. (BB) é uma instituição financeira brasileira, constituída na forma de sociedade de economia mista, com participação da União brasileira em 68,7% das ações. Juntamente com a Caixa Econômica Federal, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste, o Banco do Brasil é um dos cinco bancos estatais do governo brasileiro". Se é uma instituição estatal, o BB deveria tratar todos os seus clientes igualmente. Mas não é assim. De acordo com seu site, eis o "Banco do Brasil Estilo": "O Banco do Brasil Estilo é um conceito em relacionamento, desenvolvido para pessoas físicas de alta renda e que oferece um atendimento personalizado, completa assessoria financeira, produtos e serviços diferenciados. O BB Estilo disponibiliza uma equipe de profissionais capacitados e com ampla visão de mercado, preparados para encontrar junto com o cliente as melhores estratégias para atingir seus objetivos. O atendimento é realizado exclusivamente em agências e espaços Estilo, ambientes desenvolvidos para oferecer segurança e privacidade, com o máximo de conforto e sofisticação". Então, está esclarecido: cliente rico fica no Estilo, cliente pobre fica nas agências menos privilegiadas, muitas vezes enfrentando filas enormes, falta de lugares para sentar, atendimento precário, enfim, quem utiliza essa estrutura pobretona, como eu, sabe muito bem como é. Se a "estilosa" teoria do estatal Banco do Brasil for implantada na rede pública de saúde, o que não é difícil ser sugerido por algum dos nossos representantes na Câmara dos Deputados, imagino como seriam tratados os pacientes mais pobres. Talvez já fossem recepcionados no necrotério. Se essa política do BB, em paparicar os ricos, for legal, também é imoral. No Brasil, com raras exceções, o serviço público está corrompido pelas sacanagens e pela desonestidade. Há muitos anos.  
17 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Pobre com HIV tem direito a benefício do INSS para deficiente

AIDS1 Quando uma pessoa vive em situação de miséria e tem doença que a impede de participar do mercado de trabalho em igualdade de condições, tem direito a receber benefício da Previdência Social. Assim entendeu a Turma Recursal do Juizado Especial Federal do Amazonas e Roraima (TR-AM/RR) ao determinar que um ex-cabeleireiro diagnosticado com o vírus da Aids receba do INSS assistência voltada a pessoas com deficiência. O chamado Loas equivale a um salário mínimo (R$ 788) e é repassado para quem apresenta impedimentos de longo prazo, seja de natureza física, mental, intelectual ou sensorial. A concessão depende de perícia médica feita pelo próprio INSS. No caso analisado, o laudo concluiu que o homem de 41 anos poderia trabalhar, pois seu quadro clínico estaria estabilizado. A Defensoria Pública da União no Amazonas cobrou o benefício na Justiça, alegando que deveria ser levada em conta a segregação social vivenciada pelo autor. Com ensino fundamental incompleto e profissão sem registro em carteira, ele precisou deixar o emprego em salão de beleza ao descobrir o vírus HIV, por manusear objetos cortantes e produtos químicos. Além disso, vive com uma irmã casada que recebe um salário mínimo de aposentadoria. O pedido foi negado em primeira instância, com base na perícia do INSS. Já o juiz federal relator da Turma Recursal, Marcelo Pires Soares, avaliou que o autor sofria com a dificuldade de participar do mercado de trabalho em igualdade de condições. O recebimento da verba seria útil para assegurar a ele uma vida digna, segundo o juiz. O acórdão e o número do processo não foram divulgados.   Fonte: Consultor Jurídico, com informações da Assessoria de Comunicação Social da DPU.
× Fale no ZAP