Tag: estupro

28 ago por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Polêmica com Maria do Rosário: deputados vão ao STF testemunhar a favor de Bolsonaro

[caption id="attachment_53865" align="aligncenter" width="510"] Ano passado, o deputado federal Jair Bolsonaro já foi condenado a pagar R$ 10 mil por danos morais à deputada[/caption] Os deputados Pastor Eurico (Patri-PE) e Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foram hoje (28) ao Supremo Tribunal Federal (STF) prestar depoimento como testemunhas de defesa do deputado e candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ), nas ações penais em que ele é réu por injúria e incitação ao estupro. Com o depoimento dos deputados, os dois processos encaminham-se para seu desfecho, restando apenas o interrogatório de Bolsonaro e as últimas alegações das partes para que o caso possa ter seu julgamento final no Supremo. Isso ocorrerá somente depois que o relator do processo, ministro Luiz Fux, concluir seu voto e o encaminhar aos demais ministros. Bolsonaro foi processado por ofensas dirigidas à deputada Maria do Rosário (PT-RS) em 2014, quando disse que não a estupraria por ela ser “muito feia”. No ano passado, ele já foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pagar R$ 10 mil por danos morais à deputada.
31 out por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

MP arquiva acusação contra Alexandre Frota por apologia ao estupro

alexandre_frota Por entender que não houve apologia ao crime de estupro, o Ministério Público decidiu arquivar o procedimento aberto a pedido do deputado Jean Willys (Psol-RJ) contra o ator Alexandre Frota (FOTO). Segundo o parlamentar, a apologia teria acontecido durante uma entrevista de Frota ao humorista Rafinha Bastos, no programa Agora É Tarde, exibido pela rede Bandeirantes. A entrevista foi ao ar pela primeira vez em maio de 2014 e foi reprisada em fevereiro de 2015. Durante o programa, Frota contou que um dia fez sexo com uma mãe de santo durante uma consulta e a fez desmaiar. Diante do relato, o deputado Jean Willys pediu que o ator fosse investigado por uma suposta apologia ao estupro.
4 abr por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Polícia Civil divulga retrato falado de suspeito de estupro em Natal

RETATOFALADOESTUPRADOR1_DEGEPOL A Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), Zona Sul, divulga o retrato falado de um suspeito de ter estuprado uma mulher, no dia 26 de janeiro de 2016, por volta das 20hs, na marginal da Avenida Salgado Filho (próximo ao Posto de Abastecimento do Estado), em Natal. Informações que possam ajudar a localizar o suspeito podem ser repassadas, de forma totalmente anônima, para o Disque Denúncia 181 ou para a DEAM/Zona Sul no telefone (84) 3232.2526.   Fonte: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil (Degepol)
26 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Presa dupla acusada de assalto e estupro de mãe e filha

POLICIACIVIL1 Os policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia de Parnamirim(RN), com apoio da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), prenderam em flagrante nesta quarta-feira (25) Euclides Tomas, de 18 anos, e Jeová Soares, de 23 anos, acusados pelo assalto a uma residência e pelo estupro de mãe e filha, uma adolescente. O crime aconteceu nesta terça-feira (24) em uma residência, localizada no bairro Bela Parnamirim, em Parnamirim, na Grande Natal. No momento em que a dupla invadiu a casa e rendeu a família encontravam-se pai e filhos, dois meninos, de 7 e 11 anos, e uma adolescente de 14 anos, tendo a mãe chegada em seguida na casa. A dupla recolheu diversos pertences da casa, desde perfumes e botijão de gás à celulares, computadores e o carro do família, utilizado na fuga do local. Depois de terem colocado todos os objetos no carro, um dos assaltantes  teria, então, estuprado mãe e filha. A PRISÃO Após diligências e de encontrarem o carro da família abandonado, Euclides e Jeová foram localizados pela equipe da 1ª DP na tarde de ontem em uma granja, localizada no bairro Nova Esperança, também em Parnamirim. Com a dupla os policiais apreenderam diversos pertences das vítimas, subtraídos durante o assalto, além de um revólver, utilizado durante o crime. Encaminhados a delegacia a dupla foi reconhecida pelo patriarca da família. A equipe policial da DEAM, responsável pelo atendimento às vítimas do estupro, realizou então com um das vítimas o reconhecimento através de fotos,  durante o qual a mesma teria inclusive passado mal. Para o delegado da 1ª DP de Parnamirim, Júlio César, não há dúvidas que a autoria dos crimes seja de Euclides e Jeová, tendo inclusive os mesmos confessado o assalto a casa. “Este é um caso de resposta rápida e efetiva da Polícia Civil. Mesmo não assumindo o abuso sexual, temos provas suficientes para identificar o autor do estupro”, destacou o delegado. Euclides e Jeová foram flagranteados pelos crimes de roubo qualificado e estupro e já foram encaminhados para o Sistema Prisional.   Fonte: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do RN (Degepol)
22 set por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jovens são condenados pela morte de delator de estupro coletivo no Piauí

JUSTICA5 A Justiça do Piauí condenou ontem (21) a três anos de internação três jovens envolvidos no estupro coletivo de Castelo do Piauí pela morte de um quarto envolvido no caso. Gleison da Silva foi morto em julho no alojamento do Centro Educacional Masculino (CEM), em Teresina, segundo a polícia, por ter sido considerado delator pelos infratores. Segundo o promotor da 2ª Vara da Infância e Juventude do Ministério Público do Piauí, Maurício Verdejo, esta condenação é definitiva, já que os defensores dos adolescentes não recorreram da decisão do juiz Antônio Lopes. Eles estão cumprindo pena provisoriamente no Centro de Internação Provisória, já que o centro está funcionando acima da capacidade e, segundo Verdejo, os adolescentes condenados hoje sofrem ameaças dos outros internos. “Eles deveriam estar no CEM. O problema é que lá não tem infraestrutura e nem segurança”, disse o promotor à Agência Brasil. Gleison, de 17 anos, era o mais velho dos quatro rapazes acusados, em primeira instância, por estuprarem quatro meninas de 15 a 17 anos. Conforme a denúncia do Ministério Público, os adolescentes participaram, junto com um homem de 40 anos, do estupro das adolescentes, no fim de maio, em Castelo do Piauí, cidade que fica a cerca de 190km da capital piauiense. As adolescentes foram encontradas pela Polícia Civil, violentadas e desacordadas, em local próximo a um penhasco. Uma delas não resistiu aos ferimentos e morreu. As investigações mostraram que as meninas foram abordadas, amarradas e amordaçadas, sofreram violência sexual, e foram jogadas de cima do penhasco de mais de 6 metros de altura. A morte de Gleison ocorreu poucos dias depois que a Justiça do Piauí condenou os quatro menores a três anos de internação. Segundo Verdejo, a condenação ainda não é definitiva. O promotor adiantou que irá entrar com pedido de condenação de internação até os 21 anos, pena prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente.   Fonte: Agência Brasil
4 mar por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Polícia Civil prende acusado por estupro em São Rafael

[caption id="attachment_32703" align="aligncenter" width="394"]PRESO1 Imagem meramente ilustrativa[/caption] Uma equipe da Polícia Civil de São Rafael, com apoio da Polícia Militar, prendeu José Wellington Dantas, conhecido como “Cueca” (42 anos), acusado de ter estuprado uma adolescente de 12 anos, na cidade de São Rafael.A prisão, que aconteceu na tarde desta quarta-feira (04), é fruto do cumprimento de um mandado de prisão preventiva expedido pelo Juízo de Direito da Comarca de São Rafael. Segundo a delegada Paoulla Maués, o acusado já havia sido indiciado em 2013, mas a decretação da prisão só foi expedida em fevereiro deste ano. As investigações policiais revelaram que o acusado prestava apoio financeiro ao pai da adolescente. José Wellington Dantas será indiciado por estupro de vulnerável.     Fonte: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil (Degepol)
9 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Blogueira é ameaçada de estupro, tortura e morte

LOLABLOGUEIRA   Mulher, professora, feminista. Há sete anos, Lola Aronovich  (FOTO) começou a escrever em um blog opiniões sobre arte, política e, sobretudo, feminismo. Os textos ganharam repercussão por meio do Twitter, mas não geraram apenas debates. Desde 2011, a blogueira tem sido vítima de seguidas ameaças de estupro, tortura e até mesmo morte. As tentativas de intimidação se intensificaram nos últimos meses, levando-a a procurar a polícia pela segunda vez para registrar um boletim de ocorrência. Hoje (9), internautas usaram a rede social para manifestar apoio à Lola e às mulheres vítimas de opressão também no ambiente virtual. Utilizando a frase “Porque não me calo”, elas promoveram um tuitaço para repudiar as ações dos que Lola aponta serem masculinistas – que defendem os direitos dos homens, muitas vezes contra as mulheres – e afirmar que não aceitaram ser coagidas. "Porque o machismo mata todos os dias #PorqueNãoMeCalo", "Basta de violência online contra as mulheres" e "porque quase semanalmente mulheres são expostas em vídeos e fotos íntimas por parceiros e são humilhadas e xingadas" foram algumas das frases usadas na rede, quando a campanha se tornou um dos assuntos mais comentados do dia. As publicações dos masculinistas variam de fotos editadas, muitas vezes humilhantes, coação contra comentaristas, e até defesa do estupro “corretivo” ou de assassinato de mulheres, mas também de negros e homossexuais. No caso de Lola, junto às ameaças eles costumam publicar informações pessoais, como endereço residencial, foto da casa, CPF, placa do carro, entre outras. “No começo, eram os trolls [pessoas que interferem em publicações de forma deliberada] normais, que sempre incomodam e são chatos, mas você descarta e não leva muito a sério, tanto que nos primeiros quatro anos do meu blog eu não tinha moderação de comentários. Mas chegou a um nível insustentável”, diz a professora, e acrescenta que “não se deixa abater, porque eu sei que é o modus operandi deles. É o que eles fazem. Não só aqui no Brasil”. Em 2012, quando pela primeira vez procurou a polícia, ela denunciou dois homens que acabaram sendo processados e presos. Apesar das ameaças, ela não pretende parar de escrever. “Não é uma opção, porque se não seria dizer que eles ganharam”, afirma Lola, reiterando a reivindicação que circulou hoje no Twitter: “não nos assediem”. Na avaliação dela, o anonimato acaba facilitando a ação dessas pessoas. “É muito fácil você intimidar e perseguir essas pessoas usando o anonimato”, avalia, e acrescenta que faltam mecanismos de combate, investigação e resposta rápida em relação às ameaças sofridas no ambiente virtual. Hoje, quem se sentir ameaçado pode procurar a polícia ou registrar a queixa pelo telefone para o Disque 100, enviar carta para a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos ou usar a própria rede, acessando a SaferNet Brasil. Apenas em 2013, a SaferNet registrou 8.328 denúncias de crimes de ódio praticados na Internet. O crescimento desse tipo de situação levou a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República a criar grupo de trabalho com o objetivo de mapear crimes de ódio na Internet, em novembro do ano passado. Procurada pela Agência Brasil para saber se o grupo acompanha o caso de Lola, a assessoria da SDH explicou que “não pode divulgar os casos analisados de forma específica, uma vez que aqueles identificados como de fato envolvendo violações à Legislação são encaminhados às autoridades competentes para investigação”. O órgão informou, contudo, que o grupo deve ser reunir ainda este mês para debater as ações em curso, que serão fortalecidas neste ano.   Fonte: Agência Brasil
24 mar por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Distrito Federal lança campanha contra assédio sexual em ônibus

O Distrito Federal (DF) lança nesta segunda-feira, 24, uma campanha para encorajar mulheres a denunciar abusos sexuais em transporte público. “Assédio sexual no ônibus é crime” será o tema da campanha, que também pretende sensibilizar passageiros a defender a vítima. A campanha vai mostrar que o assédio é crime e pode ser enquadrado como “importunação ofensiva ao pudor” e até “estupro”, que podem levar o autor à prisão. Há alguns dias repercutiram na imprensa casos de abuso sexual e também de criminosos que fizeram fotos e filmagens íntimas de mulheres em transportes públicos sem que elas soubessem. Os números desse tipo de crime no DF serão divulgados no lançamento da campanha, mas, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria da Mulher, poucos casos são denunciados à polícia. Em depoimentos colhidos pelo DF é possível ver que muitas das mulheres assediadas não sabem exatamente o que é crime. Eles também mostram que as testemunhas se omitem. “Viajo sempre no horário em que os ônibus circulam lotados, no sentido Cidade Ocidental-Brasília. Certa vez, o homem ficou atrás de mim e, a todo momento, encostava seu corpo no meu. Tentava me afastar, mas não encontrava mais espaço. Sofri esse assédio até chegar à Rodoviária do Plano Piloto, onde trabalho numa loja. Não denunciei porque não sabia que se tratava de crime ou algo assim”, disse uma operadora de caixa que não quis se identificar. Cartilhas com explicações sobre assédio e o passo a passo para as mulheres reagirem e denunciarem farão parte da campanha, que também vai trazer cartazes dentro dos ônibus alertando as pessoas sobre esse tipo de crime. De acordo com a Secretaria da Mulher, idealizadora da campanha, a partir de junho a nova frota de ônibus do DF vai vir com câmeras de segurança. Quem sofrer abusos poderá pedir as imagens para servirem de prova contra o agressor. A orientação do DF é que a tanto a vítima quanto as testemunhas acionem o 190, telefone de emergência da Polícia Militar e peçam a intervenção de uma patrulha. Em Brasília, para conter o assédio, o Metrô criou o “vagão rosa” como espaço exclusivo para as mulheres nos horários de pico. A medida é adotada, também, em outras capitais, como o Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.   (Fonte: Agência Brasil)
7 jan por Henrique Goes Tags:, ,

COMEÇA JULGAMENTO DE ACUSADOS POR ESTUPRO DE ESTUDANTE INDIANA

Cinco dos seis acusados de estuprar e torturar a estudante indiana, Jyoti Singh Pandey, 23 anos, foram levados à Corte para uma audiência preliminar. O sexto jovem citado no caso será julgado por uma instância especial por ter 17 anos. [caption id="attachment_530" align="aligncenter" width="550"]indiaprotesto-agenciaefe Foto: Agência Efe[/caption] O caso ocorrido em Nova Déli, na Índia, provocou revolta em todo o mundo ao expor o desrespeito à mulher e trazer à luz uma prática que não é pontual no país. O crime aconteceu em 16 de dezembro, quando a vítima entrou em um ônibus errado, onde foi violentada sexualmente, espancada e jogada do veículo em movimento.  O desfecho para a violência  aconteceu no último dia 28, quando a estudante de Fisioterapia morreu por falência múltipla dos órgãos. A juíza que vai tratar do caso acusou os réus de violação e assassinato, crime que segundo a lei local, é passível de pena de morte. Enquanto oitivas e argumentações ocorrem dentro do Tribunal, manifestações tomam conta das ruas da capital indiana. E as palavras de ordem são em prol de mais respeito à mulher. Com informações BBC Brasil
× Fale no ZAP