Tag: Candidata

22 ago por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Gestantes poderão adiar prova de aptidão física em concurso público

A candidata gestante a concurso público poderá ter o direito de realizar as provas de aptidão física em data diversa da prevista no edital. É o que estabelece o Projeto de Lei do Senado (PLS 83/2018), de autoria do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB/PE), em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Segundo o autor da proposta, a situação da candidata gestante diante de exame de aptidão física em concursos públicos preocupa não só os responsáveis pela realização dos certames, mas também o Poder Judiciário, que já apresentou várias soluções jurídicas para essa questão.
10 out por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Wilma Wanderley: “Esse tipo de experiência que corrompe e desvia dinheiro público não tenho e não me interessa”

[caption id="attachment_39876" align="aligncenter" width="620"]WILMAWANDERLEY-E-WAGNER1_DIVULGACAO Empresária e apresentadora de TV Wilma Wanderley decidiu entrar na política, almeja ser candidata à prefeita de Natal e vê em seu filho Wagner um dos principais incentivadores (Foto: Divulgação)[/caption]   Wilma Wanderley Fernandes, recifense, casada, mãe de dois filhos, radialista apresentadora de TV e empresária no ramo de telecomunicações assinou ficha de filiação ao Partido Trabalhista Cristão, PTC, segunda-feira passada e colocou seu nome à disposição da legenda. Sem temer desafios e acreditando que o eleitor procura candidatos sérios e com ficha limpa, ela está disposta a ser candidata a prefeita de Natal, em 2016. Abaixo, a íntegra da entrevista que ela concedeu ao Portal Companhia da Notícia: Por que a senhora não se lança candidata à vereadora, por ser a primeira vez que disputará uma eleição? Sei muito bem da importância do trabalho de um vereador, mas acredito que Natal precisa de um bom gestor, de uma pessoa experiente em administração. Quero deixar bem claro que não sou ainda candidata a nada, mas caso eu fosse eleita vereadora, precisaria estar na base de sustentação política do prefeito ou convencer meus pares para poder tentar colocar em prática minhas ideias. Por isso, aceitei o honroso convite para me filiar ao PTC e coloquei meu nome à disposição do partido e este me lançou pré-candidata a prefeita, aceitamos o desafio por entender que, dessa forma, sendo escolhida a preferida dos eleitores, eu poderei fazer muito mais por essa cidade querida que me acolhe e acolhe minha família. Quem influenciou a senhora para ser candidata? Olha, eu sempre fui uma mulher de atitudes, não sou muito levada por influências, exceto se for muito benéfica, porque assumo meus acertos ou erros para não culpar ninguém, porém, preciso e tenho o apoio da minha família, que é a base de tudo na vida. Meu filho Wagner Wanderley, que é técnico em telecomunicações e estudante de engenharia elétrica, teve uma participação mais efetiva nessa decisão. Ele é meu principal incentivador e resolvi aceitar mais essa missão. Meu esposo, Manoel Ramalho, não é político nem entende muito dessa área, mas dará uma grande contribuição nos bastidores, dentro da sua especialidade em áudio e vídeo que, modéstia à parte, ele é um expert no assunto. O que a levou a se filar ao PTC, Partido Trabalhista Cristão? É uma sigla que combina com o nosso perfil. Sou trabalhadora, cristã e foi esse partido que nos convidou a seguir em um projeto alinhado com os anseios da população. Agradeço a gentileza do presidente regional do PTC, Antônio Venâncio, e do presidente do Diretório Municipal, Jefferson Garrido, por confiarem em nosso nome. O PTC teve em 2004, como candidato a prefeito de Natal, Miguel Mossoró, um candidato irreverente que teve mais de 50 mil votos e prometia, entre outras coisas, construir uma ponte ligando a capital do Rio Grande do Norte a Fernando de Noronha, em Pernambuco. A senhora não teme ser comparada com ele, também por ser desconhecida e pertencer ao mesmo partido, que é pequeno, sem grande expressão? Em primeiro lugar, quero dizer que Miguel Mossoró, que faleceu recentemente, teve sua oportunidade, foi bem votado, mas em respeito à sua memória, não tecerei mais nenhum comentário a respeito dele. O PTC vive um novo momento, está reformulando seus quadros e é desse novo partido que faço parte. Se hoje o partido pode ser considerado pequeno, tem todas as chances de crescer a partir dos nomes que o compõem. A ex-prefeita Micarla de Sousa é jornalista, apresentava programa de televisão e terminou nem cumprindo o mandato todo por decisão da Justiça. A senhora pode ser comparada com ela, por também ser uma comunicadora? Se a ex-prefeita tem culpa ou não, quem deve dizer isso é a Justiça. Não pretendo entrar na disputa política denegrindo a imagem de ninguém. Esse tipo de atitude não cabe mais. Os eleitores são inteligentes e não aceitam mais candidato ou candidata que só sabe acusar, criticar, ironizar. Micarla de Sousa é filha do ex-senador Carlos Alberto, cresceu na política. Eu, Wilma Wanderley, empresária, radialista, comecei minha carreira profissional como representante comercial. Numa época em que a credibilidade da classe política brasileira, segundo várias pesquisas, está em baixa, qual o motivo de lançar seu nome? De onde nasceu essa vontade? Nasceu da vontade de mudar o que ao longo dos anos não tem dado certo. Os quadros partidários e as administrações públicas precisam de pessoas com as fichas limpas. O povo brasileiro já não suporta mais tanta corrupção, tanto político envolvido com esquemas desonestos. Estou bem nos meus empreendimentos, apresentando programa de televisão, cuidando da minha família e não vejo a administração pública como uma forma de ganhar dinheiro, de ficar conhecida, nada disso. Não precisaria da política para conseguir nada daquilo que o trabalho honesto já me propiciou, graças a Deus. A senhora contaria com apoio de quem para ser candidata? Nosso projeto não usa a máquina estatal. Sou uma pessoa bem informada, sei que ventilam várias pré-candidaturas a prefeito de Natal, inclusive que ocupam cargos de vice-prefeita, vereador, secretários, deputados e existe até quem já esteja se dizendo candidato com apoio do Governo do Estado. Seremos diferentes não apenas da boca pra fora. Queremos representar a mudança verdadeira, por isso poderemos ter  apoio para o nosso projeto de milhares de pequenos e médios empresários, categoria que conheço muito bem, e do povo de Natal que, tenho certeza, espera viver dias melhores e está cansado de ver as mesmas figuras a cada eleição prometendo e fazendo muito pouco. Como a senhora espera encontrar a Prefeitura de Natal, caso seja eleita? Qualquer um que assumir a Prefeitura terá que adaptar e ajustar o tamanho da instituição ao seu orçamento. O futuro gestor, ou gestora, terá de fazer o dever de casa, cumprir a regra básica da economia, que é não gastar mais do que arrecada. No atual momento e, sobretudo, no futuro das administrações modernas, os gestores serão obrigados a gerenciar tudo com poucos recursos. Não adianta aumentar tributos e se gastar tanto com cargos desnecessários e eventos ilusionistas, apenas para projetar a velha receita de sempre oferecer ao povo pão e circo, para entorpecer a população. Festas e outros tipos de eventos culturais devem existir, mas que sejam realizados com seriedade e, principalmente, valorizando os artistas local. As atrações nacionais até podem ser contratadas, mas sempre por meio de parcerias com a iniciativa privada. A senhora teria alguma "fórmula mágica", para administrar com poucos recursos? Não tenho nenhuma fórmula mágica, nem tenho a menor vocação para enganar ninguém. Nesse quesito de se trabalhar com poucos recursos financeiros, somos extremamente experientes, porque em nossa vida profissional estamos acostumados a trabalhar administrando com pouco dinheiro e a prova dessa eficiente receita está aos olhos de todos que conhecem nossa trajetória empresarial. A falta de experiência no setor público não vai fazer falta ao seu trabalho, caso seja eleita? E por acaso os eleitores estão satisfeitos com os modelos empregados pelos políticos experientes que temos? O povo está gostando? Eu, pelo menos, não aprovo. Todos estão percebendo que existe uma escalada de corrupção que derreteu a nossa economia. Estamos vivenciando uma das maiores crises financeira e moral da nossa história. Graças ao Ministério Público e à Polícia Federal, todos os dias a mídia noticia escândalos e mais escândalos Brasil afora e todos eles têm como figura central alguém que podemos chamar de experiente na política. Esse tipo de experiência que corrompe, rouba, desvia dinheiro público não tenho e não me interessa. Caso eu seja efetivada candidata, se assim desejar o PTC, e conseguir ser eleita, vou reunir uma equipe competente e honesta para ter convicção que a administração de Natal ganhará destaque de eficiência. A candidata Wilma Wanderley aceitaria o apoio de alguma das chamadas famílias tradicionais da política potiguar? Olhe, essas famílias que sempre estiveram no poder e estão, não podemos negar, tiveram participações fundamentais para o desenvolvimento que aí está, mas também falharam do ponto de vista da quantidade e velocidade do desenvolvimento da nossa capital, comparando, apenas para citar dois exemplos mais próximos, com João Pessoa e Fortaleza. Nesses casos, deixamos muito a desejar, tanto em infraestrutura como no turismo, nossa principal indústria. Os possíveis apoios poderão acontecer, mas dentro de um contexto de aliança de sintonia com meus ideais e com os ideais do PTC. Jamais seremos subservientes e sempre queremos aproveitar o que cada um dos possíveis apoiadores puder oferecer de melhor em favor da coletividade. Temos um projeto de coalisão de forças a favor da melhoria e do bem estar da nossa população, da modernização dos nossos serviços públicos. Queremos administrar para a maioria e não para poucos privilegiados. O uso da tecnologia seria um dos focos da sua administração? A tecnologia está ao nosso favor. Seja quem for o prefeito, tem que usá-la com sabedoria. Deverá, através da educação e de parcerias, capacitar o maior número de profissionais para diversos setores da economia. O próximo prefeito, ou prefeita,  deve abrir caminho e valorizar todo e qualquer empresário sério que esteja disposto a gerar emprego e renda e não tratá-los como bandidos ou no, mínimo, sonegadores. Tem, sim, que criar um Departamento Especial dentro da infraestrutura que existe, para não gerar despesas, para orientar cada empreendedor. Os empresários, que vivem hoje no Brasil, são heróis. É preciso que eles sejam capacitados e recebam incentivos fiscais. Não conheço nenhum lugar no mundo que cresça sem que se estimule a capacitação e a produção. Como cidadã, e agora como política, como a senhora avalia o quadro da insegurança e violência que enfrentamos? E qual o papel que a Prefeitura deve assumir nesse cenário? Esse assunto faz parte do meu cotidiano. Todos sabem que comando um programa com o nome de “RN Urgente” que tem como tema principal os fatos violentos que acontecem diariamente, de maneira crescente. A Prefeitura, nesse caso, é apenas parceira, porque a segurança da população é um dever do Estado. Mas a gestão municipal não pode ficar omissa, deve ajudar o estado implementando políticas públicas voltadas para a educação e lazer, principalmente a prática de esportes, estímulo à cultura e prática de atividades ocupacionais. Isso retira o jovem do mundo da droga. Ações que diminuirá a criminalidade e a violência. O que a senhora acha da administração do prefeito Carlos Eduardo? Carlos Eduardo é um político profissional, foi deputado estadual, secretário de Estado e prefeito reeleito. Considero sua gestão mediana, porque a cidade continua enfrentando problemas de infraestrutura, o trânsito está cada vez mais complicado, a saúde está sendo sempre criticada pelos servidores e usuários, o transporte público é de péssima qualidade, e ao que me parece ele é uma pessoa de difícil trato, tanto que até para conseguir um líder na Câmara Municipal foi complicado, tendo sido preciso convocar o vereador Raniere Barbosa, que estava à frente da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos. Com a bagagem que ele tem, com as boas relações que mantém em Brasília, tendo o primo Henrique como ministro do Turismo, Garibaldi Filho, também primo, como senador e teve o apoio da senadora Fátima Bezerra, acho que poderia fazer muito mais, mas voltamos àquela questão anterior da experiência que, às vezes, não é revertida a favor do povo. E o que pensa Wilma Wanderley sobre a gestão do governador Robinson Faria? Ainda é cedo para avaliar a gestão do governador Robinson. Acho que ele tem muita vontade de acertar, tem demonstrado isso, tem falado em reduzir gastos públicos, nunca tinha atuado no Executivo, mas é necessário que ele reforce, pelo menos nesse primeiro momento, a segurança em nosso Estado. É preocupante a situação de medo e terror em que vivemos e não tem surgido uma resposta eficiente por parte do governo do Estado. Assim como os demais Estados da Federação, o Rio Grande do Norte enfrenta sérios problemas econômicos, mas é nesse momento que os grandes gestores aparecem e torço para que o governador acerte. Não sou daquelas pessoas que acreditam que quanto pior, melhor. Sempre quero ver o acerto dos governantes, sejam eles quais forem. A senhora está preparada para enfrentar candidatos bem mais experientes, outros polêmicos, talvez alguns irreverentes? Não corro de desafios e aguardo somente a posição do meu partido para saber se serei candidata ou não. Caso isso fique concretizado, Natal pode ter certeza que terá uma candidata trabalhadora, honesta, que tudo que tem na vida é fruto de muito trabalho. Respeitarei todos os meus adversários e espero ser respeitada por todos. O eleitor é a principal figura do processo eleitoral e é desses natalenses que desejam dias melhores que espero apoio. Teremos, caso eu seja candidata, uma estrutura pequena diante do poder econômico de alguns, que é proibido o seu uso, mas contaremos com um grupo aguerrido, determinado, pensante, que não cessará de trabalhar para mostrar nosso projeto.
21 mar por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Amanda Gurgel admite disputar Prefeitura de Natal no próximo ano

AMANDAGURGEL_ELPIDIOJUNIOR A vereadora Amanda Gurgel, do PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados, admitiu pela primeira vez disputar a Prefeitura de Natal nas eleições do próximo, caso seja convocada pelo seu partido, entretanto considera cedo para definição de nomes agora. A vereadora informa que primeiramente terá que ser estabelecido e intensificado um debate programático para definição do que será discutido e defendido durante a campanha eleitoral do próximo ano objetivando melhorias para a população e para Natal, que segundo ela, deverá ser uma cidade  voltada prioritariamente para os trabalhadores. “Se eu for convocada pelo meu partido aceitarei o desafio”, afirma a vereadora do PSTU. De acordo com a vereadora Amanda Gurgel, em Natal existe espaço para uma candidatura alternativa de esquerda disputar a prefeitura com chances reais de vitória, citando ela própria como exemplo quando disputou pela primeira vez uma vaga no legislativo natalense em 2012 e foi eleita com 32.819 votos. Na oportunidade, a sobra de votos obtidos pela então desconhecida professora da rede municipal de ensino elegeu os candidatos Sandro Pimentel com mais de 1.398 votos e Marcos Antonio, ambos do Psol, com 717 votos. Foto: Elpídio Júnior  
14 set por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Zenaide Maia assume compromisso de buscar melhorias para Segurança

ZENAIDE3_BLOGAFONTENETBR Doutora Zenaide Maia iniciou sua agenda de visitas deste domingo(14) pelos bairros de Caicó ao lado dos vereadores Rubão Germano (PSDC) e Zé Maria (PR), além dos ex-vices-prefeitos de Caicó Júnior Germano (PR) e Binha Torres, da suplente de vereadora Edna Santiago (PTdoB), o ex-vereador Miltão e o ex-prefeito de São Fernando Paulo Emídio. As visitas iniciaram pelo bairro Paraíba e seguiram pelo Soledade, João Paulo II, Paulo VI, João XXIII, Barra Nova e Walfredo Gurgel. Zenaide ainda aproveitou para fazer uma visita a monsenhor Antenor ao lado do amigo Binha Torres. Em seu discurso no bairro Paraíba, Zenaide prometeu buscar junto ao Congresso Nacional melhorias para a segurança nos municípios potiguares que hoje sofrem com aumento excessivo da violência e da criminalidade. "Levarei para o congresso a indignação de todas as mães de famílias que veem seus filhos, saindo de casa para estudar ou trabalhar, mas que não sabem se vão voltar por causa da violência. As pessoas de bem, hoje estão em casa com grades para se proteger dos bandidos, enquanto eles estão soltos nas ruas. Irei lutar para tentar reverter este quadro, pois o lugar dos homens de bem é nas calçadas conversando, como antes era um gesto típico em Caicó", disse Zenaide   Fonte: Assessoria de Imprensa de Zenaide Maia / Foto: www.blogafonte.net.br  
31 ago por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Ministro proíbe propaganda eleitoral de Marina no site da Rede Sustentabilidade

MARINASILVA1 O ministro Tarcísio Vieira de Carvalho, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu liminar para proibir propaganda eleitoral de Marina Silva no site da Rede Sustentabilidade (www.redesustentabilidade.org.br). A decisão ocorreu na análise de representação protocolada pela Coligação Com a Força do Povo, que tem a presidente Dilma Rousseff como candidata à reeleição. Segundo a Coligação Com a Força do Povo, Marina Silva tem divulgado o endereço eletrônico www.marinasilva.org.br como sendo o site de sua campanha, e este apresentaria pelo menos duas irregularidades: ausência de indicação do CNPJ, além da menção à Rede como se fosse uma agremiação partidária regularmente constituída perante a Justiça Eleitoral e como se Marina integrasse o partido. Por isso, alegava suposta violação ao disposto no artigo 38, parágrafo 1º, da Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições), e ao artigo 242 do Código Eleitoral. A autora da ação também entende por irregular o fato de que nos ícones da Rede, encontrados no início e no final do site oficial de campanha da Coligação Unidos pelo Brasil, há links que redirecionam o internauta para uma página oficial da REDE, onde pode ser encontrada propaganda eleitoral. Ainda nos autos, a Coligação Com a Força do Povo assevera que a Rede não pode ser considerada uma agremiação partidária, uma vez que o TSE ainda não reconheceu os requisitos necessários para a sua regular constituição, e, assim, “não dispõe de autorização legal para veicular propaganda eleitoral, o que, demais disso, pode induzir o eleitor a erro, ao imaginá-la como verdadeiro partido político e, o que é pior, integrante da coligação da primeira Representada [Marina Silva]”. Por essas razões, pedia a concessão de liminar para suspender a menção à REDE no site oficial de campanha www.marinasilva.org.br e para que se observasse a obrigação legal de menção ao CNPJ na página destinada à propaganda. Decisão Inicialmente, o ministro Tarcísio Vieira de Carvalho observou não haver ofensa à Lei das Eleições, que tem como objeto específico a obrigação de que conste o CNPJ em todo material impresso de campanha. No caso, conforme o ministro, o que se tem como ilegal na representação não é material impresso, mas sim propaganda na internet, “espécie que atrai regulamentação diversa por parte da legislação eleitoral”. Em seguida, o relator verificou que não são proibidos os links da página da Rede contidos no site de campanha da candidata Marina Silva. “A REDE, como é conhecida a Rede Sustentabilidade, parece ser um projeto em andamento de fundação de partido político, notoriamente liderado por Marina Silva, cujo registro foi negado pelo Tribunal Superior Eleitoral, em outubro de 2013, diante da não comprovação adequada do cumprimento dos requisitos legais”, afirma o ministro. O ministro citou que, após o indeferimento do registro pelo TSE, o movimento anunciou nos meios de comunicação que continuaria buscando o registro da agremiação, mesmo sem poder disputar as eleições de 2014. “Mesmo sem ser um partido político registrado na Justiça Eleitoral, a REDE, no que constitui capital político importante, notoriamente vinculado à candidatura de Marina Silva, não está proibida de atrair simpatizantes e de envidar esforços no sentido de, futuramente, obter o almejado registro na Justiça Eleitoral. E tudo isso pode ser impulsionado e otimizado pelos links, legitimamente”, ressaltou, ao considerar que não existe impedimento à manutenção de links na página da candidata Marina Silva, direcionando o internauta ao site em referência”. Quanto à veiculação de propaganda partidária na própria página da Rede, o ministro entendeu não ser possível. Conforme ele, o partido existe como pessoa jurídica de direito privado, mas não pode participar do processo eleitoral até que registre seu estatuto no TSE. Com base no artigo 57-C, parágrafo 1º, da Lei das Eleições, o relator destacou que “na internet, é vedada, ainda que gratuitamente, a veiculação de propaganda em sítios de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, sujeitando-se o responsável pela divulgação da propaganda e, quando comprovado seu prévio conhecimento, o beneficiário, à multa de R$ 5 mil a R$ 30 mil, nos termos do parágrafo 2º, do mesmo dispositivo”.   Fonte: Portal do TSE
20 maio por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Luciana Genro retorna à vida pública como candidata a vice-presidenta da República

A radical ex-deputada do Psol Luciana Genro, filha do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, está de volta à política partidária, após passar um período sem mandato. Ele é companheira de chapa do senador Randolfe Rodrigues na condição de candidata à vice-presidente da República nas eleições deste ano. “Perdi na disputa interna do partido para o senador Randolfe, mas para garantir a unidade do Psol decidi ser o seu vice”, disse a pré-candidata momentos antes de participar de um seminário sobre Reforma Agrária nessa ultima segunda-feira na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte ao lado do senador paraense, vereadores Marcos Antonio, Sandro Pimentel e do presidente nacional da legenda, Luiz Araújo. “O desafio é grande, mas o espaço também é. Somos uma alternativa que o povo brasileiro terá nas eleições desse ano”, disse Luciana Genro, acrescentando: “o governo do PT é a continuidade da submissão ao capital financeiro. As grandes empreiteiras continuam mandando no Brasil e são as mesmas que lucraram com as obras da Copa do Mundo e financiam os grandes partidos como PT, PSDB, PMDB e PSB”, salienta a pré-candidata à vice-presidente da República, mostrando otimista com relação a um provável segundo turno nas eleições com a participação do candidato do Psol, Randolfe Rodrigues. “Vamos lutar para Randolfe ir para o segundo turno sabendo das dificuldades pela falta de recursos e pouco tempo de TV, mas se Davi venceu Golias, nós também podemos vencer as eleições”, compara a ex-deputada. Segundo a pré-candidata, caso o Psol chegue ao Poder a primeira providência a ser adotada é fazer uma auditoria da dívida pública e suspensão do pagamento do juros. Em seguida, promoverá uma reforma tributária para que os trabalhadores paguem menos impostos e os milionários paguem mais. Priorizará também, investimentos em saúde, educação, transporte, moradia, segurança e fará uma reforma agrária efetiva. Presentes ao encontro, que reuniu trabalhadores e integrantes dos sem-terra de vários municípios do Estado, os vereadores Marcos Antonio e Sandro Pimentel falaram sobre a importância do projeto político do Psol para esse ano e conclamaram a todos no sentido engajarem-se na luta para retomada do Poder,atualmente comandado pelo PT. “Está sendo construída um nova viabilidade política para o País”, disse o vereador Marcos Antonio. “Precisamos de uma reforma agrária e votar contra os sanguessugas que querem ocupar o Poder”, completou Sandro Pimentel. Luiz Araújo, presidente nacional do Psol, afirmou: “o Brasil mostrou no ano passado uma grande insatisfação com a atual política econômica e existe um cansaço dos políticos tradicionais. Eles não têm condições de mudar porque estão com o rabo preso. Randolfe Rodrigues são os únicos que têm capacidade de fazer as mudanças que a população exige”, disse ele.
× Fale no ZAP