13 maio por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Velório de Lúcio Mauro será aberto ao público

O velório do ator e comediante Lúcio Mauro será no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, hoje (13), das 9h às 14h. A cerimônia será aberta ao público.

Lúcio Mauro morreu na noite desse sábado (11), aos 92 anos. Ele estava internado há cerca de quatro meses na Clínica São Vicente, no bairro da Gávea, zona sul do Rio de Janeiro.

O ator tinha problemas respiratórios e havia sofrido, há três anos, um acidente vascular cerebral (AVC). O corpo de Lúcio Mauro será cremado nesta segunda-feira, no Cemitério da Penitência, no Caju, região portuária do Rio.

O também comediante Bruno Mazzeo, filho do amigo e humorista Chico Anísio, lamentou a morte de Lucio Mauro em sua conta no 'Instagram': "Todo meu amor e carinho por essa família que amo desde que me entendo por gente. Viva Lúcio Mauro!!!!".

Entre outros programas famosos dos quais Lucio Mauro participou na televisão, destaque para Balança mas não cai, Chico City, Zorra Total.

Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil / Rio de Janeiro

29 mar por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Só tem artista: ator que interpreta “deputado João Plenário” é condenado a devolver R$ 340 aos cofres públicos

Vida imita o vídeo: ator interpreta político corrupto, "deputado João Plenário"

O ator Saulo Laranjeira, o famoso deputado "João Plenário" no programa humorístico "A Praça é Nossa", foi condenado a devolver cerca de R$ 340 mil ao governo de Minas Gerais, referentes a recursos recebidos da lei estadual de incentivo à cultura. Segundo a Justiça, a prestação de contas só foi feita 15 anos depois, com recibos sem ligação com o caso.

De acordo com o que foi apurado na investigação, o ator recebeu, em meados de 2001, através do poder público, R$ 100 mil, mas o valor a ser ressarcido foi corrigido e acrescido de juros de mora. O dinheiro era para a realização do projeto Arrumação 2000. A unânime decisão do TCE foi proferida pela 1.ª Câmara na sessão de terça, 26, envolvendo o processo instaurado inicialmente pela Secretaria de Estado da Cultura, em dezembro de 2016, quando o artista prestou contas.

Segundo o tribunal, Saulo Laranjeira só apresentou os recibos “quando da declaração de indisponibilidade de bens” e eles “não correspondiam à execução do objetivo proposto”. O relator do TCE, José Alves Viana, diz que o órgão entendeu que houve “omissão deliberada do dever de prestar contas” e, por isso, o humorista deveria ser “responsabilizado por dano ao erário”.

SAIBA MAIS:
https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/saulo-laranjeira-ator-que-vivia-político-corrupto-na-tv-terá-de-devolver-rdollar-340-mil/ar-BBVmum2?ocid=spartanntp

24 jan por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Corpo do ator Caio Junqueira será velado e sepultado hoje

O corpo do ator Caio Junqueira será sepultado hoje às 16h30, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio. O velório começará  às 11h, na capela 4.

Caio Junqueira, 42 anos, morreu no início da manhã de ontem (23) após ficar internado há uma semana no Hospital Municipal Miguel Couto, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. O ator chegou à unidade com politraumatismo causado por um acidente de carro, no dia 16 de janeiro, no Aterro do Flamengo, também na zona sul da cidade.

Durante o período de internação no centro de tratamento intensivo (CTI) do hospital se manteve em estado grave. Na segunda-feira (21) o ator passou por cirurgia.

A carreira de Caio Junqueira foi marcada por trabalhos em várias novelas, séries de TV, e filmes, um deles o Tropa de Elite, lançado em 2007, em que interpretou Neto, um aspirante da Polícia Militar.

A estreia na televisão foi aos 9 anos de idade, no programa “Tamanho família”, na extinta TV Manchete. Logo após, já na TV Globo, atuou com o irmão, também ator, Jonas em um episódio da série Armação Ilimitada, dirigida por Guel Arraes.

Por Cristina Índio do Brasil - Repórter da Agência Brasil / Rio de Janeiro

23 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente

O ator Caio Junqueira morreu no início da manhã de hoje (23) depois de ficar uma semana internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. O artista sofreu um acidente automobilístico no dia 16 de janeiro, no Aterro do Flamengo, também na zona sul.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele estava internado no centro de tratamento intensivo (CTI) e morreu vítima de complicações do acidente. O ator tinha passado por uma nova cirurgia na última segunda-feira (21).

Caio Junqueira tinha 42 anos e trabalhou em várias novelas e séries televisivas. Também interpretou o aspirante Neto, no filme Tropa de Elite, lançado em 2007.

Por Vitor Abdala - Repórter da Agencia Brasil / Rio de Janeiro

12 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Acusado confessa que matou o bailarino Zezo por dívida de 180 reais da venda de maconha

[caption id="attachment_55009" align="aligncenter" width="513"] Luan foi preso na cidade de Parelhas, interior do RN[/caption] Na manhã desta segunda-feira (12), a Polícia Civil realizou uma coletiva de imprensa e divulgou imagens da confissão de Luan Cley da Silva Santos, 21 anos, que afirma ter matado o ator e bailarino José Raimundo da Silva, conhecido como “Zezo Silva”, na manhã do dia 05 de outubro deste ano, na Cidade Alta em Natal, usando uma faca. Luan Cley foi preso na última sexta-feira (09), na cidade de Parelhas, com apoio da equipe da Delegacia Municipal da Parelhas. “Gostaríamos de deixar claro que a investigação conduzida pela DHPP foi um trabalho bastante exitoso e que conseguiu chegar até a autoria deste crime tão brutal”, destacou a delegada-geral Adriana Shirley. Em sua confissão Luan Cley afirma que matou Zezo Silva motivado por uma dívida de R$ 180,00, referente a uma compra de maconha realizada um mês antes da vítima ser assassinada. “Ele conta que foi até a casa de Zezo com o intuito de receber o valor, mas que houve uma briga, que Zezo o teria chutado e o ameaçado com uma faca. Faca essa, que teria sido usada pelo suspeito para golpear Zezo no pescoço”, detalhou o diretor da DHPP, delegado Marcos Vinícius. Apesar da vítima ter confessado, as investigações da DHPP sobre o crime ainda prosseguem, pois a confissão possui contradições e outras linhas de investigação estão sendo estudadas. “Um dado que nos chama a atenção é o fato da vítima ter sido encontrada sem as vestes da parte inferior e o fato do suspeito ter permanecido no imóvel aproximadamente duas horas. Por isso, ainda contamos com a ajuda da população para que nos envie informações que possam nos ajudar a esclarecer o crime”, solicitou o delegado Marcos Vinícius. As informações podem ser enviadas de forma anônima e com garantia de sigilo para o Disque-Denúncia 181. https://www.youtube.com/watch?time_continue=180&v=hxECmaD0cWU Fonte: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil (Degepol)
31 out por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

MP arquiva acusação contra Alexandre Frota por apologia ao estupro

alexandre_frota Por entender que não houve apologia ao crime de estupro, o Ministério Público decidiu arquivar o procedimento aberto a pedido do deputado Jean Willys (Psol-RJ) contra o ator Alexandre Frota (FOTO). Segundo o parlamentar, a apologia teria acontecido durante uma entrevista de Frota ao humorista Rafinha Bastos, no programa Agora É Tarde, exibido pela rede Bandeirantes. A entrevista foi ao ar pela primeira vez em maio de 2014 e foi reprisada em fevereiro de 2015. Durante o programa, Frota contou que um dia fez sexo com uma mãe de santo durante uma consulta e a fez desmaiar. Diante do relato, o deputado Jean Willys pediu que o ator fosse investigado por uma suposta apologia ao estupro.
14 out por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Ator Luiz Carlos Miele é encontrado morto em sua casa

MIELE1 O ator, produtor cultural e diretor Luiz Carlos Miele, de 77 anos, morreu hoje (14) no Rio de Janeiro. Ele estava em sua casa, na Gávea, zona sul. O corpo foi encontrado esta manhã pelos bombeiros, acionados para atender a uma ocorrência no local. Natural de São Paulo, Luiz Carlos Miele foi locutor das rádios Nacional do Rio de Janeiro, Excelsior e Tupi, na década de 1950, antes de seguir carreira na televisão. (Fonte: Agência Brasil)   Informações do Wikipédia   Luís Carlos Miele Luís Carlos d'Ugo Miele (São Paulo, 31 de maio de 1938 - Rio de Janeiro, 14 de outubro de 2015) foi um produtor, ator e diretor de shows brasileiro. Infância Filho da cantora e instrumentista Irma Miele, cujo nome artístico era Regina Macedo . Aos 12 anos de idade, começou a trabalhar como rádio-ator numa emissora de rádio em São Vicente (São Paulo), no programa Meu filho, meu orgulho de Mário Donato. Mais tarde, protagonizou outros programas infantis na Rádio Tupi, ao lado de Régis Cardoso, Érlon Chaves e Walter Avancini. Carreira Iniciou a carreira profissional como locutor das rádios Excelsior, Tupi e Nacional. Em 1959, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde conheceu o compositor Ronaldo Bôscoli, com quem formou a dupla Miele & Bôscoli, responsável pela direção e produção de diversos espetáculos, além de programas musicais em emissoras de televisão. Em 1976, após a morte do humorista Manuel de Nóbrega, passou a apresentar A Praça da Alegria na Rede Globo, saindo do ar em 1979. O programa contou com a participação de Ronald Golias. Na televisão, atuou na direção e produção dos programas musicais Noite de Gala e Cara & Coroa (com Dori Caymmi e Sílvia Telles), na TV Rio. Dois no Balanço (jazz e bossa nova), Se meu apartamento falasse (com Cyl Farney e Odete Lara), Rio Rei, Os 7 Pecados (com Fernando Barbosa Lima) e Musical em Bossa 9, na TV Excelsior, O Fino da Bossa, Show em Simonal e Elis Especial, na TV Record, Alô Dolly, Dick & Betty 17 (com Dick Farney e Betty Faria), Fantástico (direção musical), Elis Especial, Praça da Alegria, Sandra & Miele, Cem anos de espetáculo, Viva Marília e Batalha dos Astros, além de festivais de música, na Rede Globo, Um homem – uma mulher (com Tuca), Cassio Muniz Show (criação dos comerciais) e Programa Flávio Cavalcanti (musicais essenciais), na TV Tupi, Miele & Cia e Ele & Ela (com Leila Richers), na TV Manchete, Coquetel e Cocktail, no SBT, e Escolinha do Barulho, na TV Record. Como produtor e diretor de espetáculos de artistas como Roberto Carlos; Elis Regina; Wilson Simonal; Sergio Mendes; Lennie Dale; Sarah Vaughan; Leny Andrade, Pery Ribeiro e Bossa 3 ("Gemini V"); Taiguara e Claudette Soares (Primeiro Tempo 5×0); Milton Nascimento, Marcos Valle, Joyce e Wanda Sá (Sucata, Rio de Janeiro); Alcione (Canecão, Rio de Janeiro); Agnaldo Timóteo; Joanna; Angela Maria e Lucinha Lins ("Spot Light"); Os Cariocas; Família Caymmi; Trio Irakitan e Rosana Tapajós (Beco das Garrafas, Rio de Janeiro); Regina Duarte (Regina Mon Amour, no Canecão); Sandra Bréa e Pedrinho Mattar ("Caso Water-Closed"), e Dzi Croquettes (Monsieur Pujol, Rio de Janeiro), além dos projetos "Chega de Saudade", "Vivendo a Rádio Nacional", "Vivendo Vinícius" e "Festival Internacional de Mágica". Como showman, participou dos espetáculos "Miele & Juarez Machado" (Sucata, Rio de Janeiro), "Concerto para Miele & Orquestra" (Hotel Maksoud Plaza, São Paulo), "Miele & Tuca" (Rui Barbossa e Sucata), "Miele no Palladium", com Rosemary, "Elis & Miele" (Teatro Clara Nunes e Teatro Maria Della Costa). Atuou, ainda, como diretor de projetos especiais no Metropolitan (RJ) e como mestre de cerimônias do Prêmio Molière. Gravou o compacto simples "Miele e Carolina", com a participação de Carol Saboya, registrando as canções "A menina e a TV" (Rolf Zuckowski, vers. Antonio Adolfo e Jésus Rocha) e "Cirrose" (Daltony Nóbrega e Ana Maria). Em 1997, apresentou-se, com Roberto Menescal e Wanda Sá, no Mistura Fina (RJ), em espetáculo gravado ao vivo e lançado pelo selo Albatroz no CD "Uma mistura fina". Dois anos dpois, assinou a direção do espetáculo "Vivendo Vinícius", com Carlos Lyra, Toquinho, Miúcha e Baden Powell, apresentado no Metropolitan (RJ). Ainda em 1999, passou a exercer a função de diretor de projetos especiais na Casa de Cultura da Universidade Estácio de Sá (RJ), onde produziu vários espetáculos, como "Um brasileiro chamado Jobim", com Roberto Menescal, Danilo Caymmi, Joyce, Cris Delanno e o conjunto Os Cariocas, "Minhas duas estrelas – Pery Ribeiro canta e conta – Dalva de Oliveira e Herivelto Martins", "Essa Bahia chamada Caymmi", com Nana Caymmi, Dori Caymmi e Danilo Caymmi", "Jazz para as onze", com o Quinteto Paulinho Trompete, e "Rio Jazz Orquestra", no qual atuou como crooner, entre outros. Publicou um livro intitulado Poeira de estrelas. Em 2004 fez espetáculos no Tom Brasil em São Paulo, mostrando pela primeira vez em público o "Hino do Fome Zero" (Roberto Menescal e Abel Silva), cujo DVD foi dirigido por ele, também publicou o livro "Poeira de estrelas" (Ediouro). Ainda em 2004, foi responsável pela apresentação do espetáculo "Bossa Nova in Concert, realizado no Canecão no Rio de Janeiro, com a participação de Johnny Alf, João Donato, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Wanda Sá, Leny Andrade, Pery Ribeiro, Durval Ferreira, Eliane Elias, Marcos Valle, Os Cariocas e Bossacucanova. O show contou com uma banda de apoio formada por Durval Ferreira (violão), Adriano Giffoni (contrabaixo), Marcio Bahia (bateria), Fernando Merlino (teclados), Ricardo Pontes (sax e flauta) e Jessé Sadoc (trompete), concepção e direção artística de Solange Kafuri, direção musical de Roberto Menescal, pesquisa e textos de Heloisa Tapajós, cenários de Ney Madeira e Lídia Kosovski, e projeções de Sílvio Braga. Também nesse ano, lançou o livro "Poeira de estrelas" (Ediouro). Apresentou-se, em 2005, no Bar do Tom, com o espetáculo "Bênção Bossa Nova", ao lado de Roberto Menescal e Wanda Sá. Nesse mesmo ano, lançou o DVD "Miele, um showman brasileiro – Um show de música & muito humor" (CID), com festa no Bar do Tom (Rio de Janeiro). Miele torce pelo São Paulo Futebol Clube. Em 2005, interpretou o advogado Wexler no seriado Mandrake da HBO Brasil, baseado na obra de Rubem Fonseca. O melhor momento da carreira foi o musical "Elis". O pior momento da carreira foi o Programa Cocktail (exibido no SBT de agosto 1991 a agosto 1992). Miele disse em uma entrevista em 2002: "Aquele programa não era muito a minha praia". Ele prefere esquecer e considerava um programa de mau gosto. No fim de 2011, atuou no filme As Aventuras de Agamenon, o Repórter interpretando o sogro de Agamenon Mendes Pedreira. Em 2012 atuou na minissérie O Brado Retumbante no papel de "Nicodemo Cabral, O Senador". Em 2014, atuou na minissérie A Teia, no papel do ex-senador Walter Gama. Em 2014, interpreta o magnata Jack Parker, na novela Geração Brasil. Em agosto de 2014, participa da Dança dos Famosos no programa Domingão do Faustão. Em 2014 interpreta o vizinho garanhão Gustavo Pennaforte, no episódio "Ela É a Dona de Tudo" do sitcom Trair e Coçar É Só Começar, do canal Multishow. Seu último trabalho foi na novela Geração Brasil, atuando como Jack Parker pai de Pamela Parker Marra Morte Segundo noticiado pela BandNews em primeira mão, Miele Faleceu no dia 14 de Outubro de 2015 vitima de um ataque cardíaco os bombeiros tentaram reanimar o ator, mas sem sucesso, nunca foi casado e nem tivera filhos, sua morte pegou todos de surpresa, colegas e amigos tambem      
× Fale no ZAP