FIRJAN aponta São Gonçalo como o 1º do RN no índice de gestão fiscal

3 ago por João Ricardo Correia

FIRJAN aponta São Gonçalo como o 1º do RN no índice de gestão fiscal

PRIMEIRO_LUGARA Federação das Indústrias do Rio de Janeiro divulgou o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) referente ao ano de 2015. Os dados mostram que o município de São Gonçalo do Amarante/RN desponta como o 1º lugar do Estado na gestão fiscal e o 23º em todo o país, com índice de 0.80.

A evolução do estudo revela também que só entre 2009 e 2015, período da gestão do prefeito Jaime Calado, São Gonçalo melhorou 0.49 pontos, numa escala que vai de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, melhor a gestão fiscal do município no ano em observação.

Ainda de acordo com o levantamento o 2º lugar do Rio Grande do Norte ficou para Maxaranguape, com IFGF de 0,57, e que aparece em 812º  entre os municípios brasileiros. Confira a lista completa no endereço eletrônico: http://www.firjan.com.br/ifgf/consulta-ao-indice/consulta-ao-indice-grafico.htm?UF=RN&IdCidade=241200&Indicador=1&Ano=2015


Saiba mais sobre o IFGF

Para contribuir com uma gestão pública eficiente e democrática, o Sistema FIRJAN desenvolveu o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF). Uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos.

Lançado em 2012, o IFGF traz o debate sobre um tema de grande importância para o país: a forma como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras. O índice é construído a partir dos resultados fiscais das próprias prefeituras – informações de declaração obrigatória e disponibilizadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Com base nesses dados oficiais, o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal 2016 – ano de referência 2015 – avaliou a situação fiscal de 4.688 municípios, onde vivem 180.124.602 pessoas – 89,4% da população brasileira. Apesar da determinação da lei, os dados do exercício fiscal 2015 de 880 prefeituras não estavam disponíveis ou não eram consistentes (informações que não foram passíveis de análise).

Leitura do IFGF

Composto por cinco indicadores – Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida –, o IFGF tem uma metodologia que permite tanto comparação relativa quanto absoluta, isto é, o índice não se restringe a uma fotografia anual, podendo ser comparado ao longo dos anos. Dessa forma, é possível especificar, com precisão, se uma melhoria relativa de posição em um ranking se deve a fatores específicos de um determinado município ou à piora relativa dos demais.

Fonte: Site FIRJAN

ByJoão Ricardo Correia

Formado em Comunicação Social pela UFRN. Experiências profissionais em rádio, jornais, TV, informativos virtuais e assessorias de imprensa. Editor do Companhia da Notícia.

Deixe seu comentário

× Fale no ZAP