Após desabamento na Itália, vereador Luiz Almir volta a chamar atenção sobre estado da Ponte de Igapó

14 ago por João Ricardo Correia

Após desabamento na Itália, vereador Luiz Almir volta a chamar atenção sobre estado da Ponte de Igapó

Ferragens aparentes, nos pilares da Ponte de Igapó, sendo corroídas (Foto: UFRN)

Pelo menos vinte pessoas morreram e o Corpo de Bombeiros continua trabalhando, em busca de sobreviventes, em Gênova, na Itália, após o desabamento do trecho de uma ponte, nesta manhã. O equipamento passava por manutenção quanto desabou. Em Natal, já houve uma série de alertas sobre o estado precário da Ponte de Igapó, que ainda não foi submetida a nenhuma manutenção.

Uma das vozes mais ativas sobre a situação da Ponte de Igapó é do vereador e comunicador Luiz Almir. Quando deputado estadual, ele chegou a levar vídeos à superintendência do DNIT, em Brasília, então comandado pelo general Jorge Fraxe, que ficou de providenciar o serviço. Os anos se passaram, atualmente Fraxe é o diretor do DER, no Rio Grande do Norte, e o equipamento continua abandonado, com ferragens dos pilares à mostra, sendo corroídos pela ferrugem.

Luiz Almir, há mais de dez anos, alerta sobre a falta de manutenção na Ponte de Igapó

“Mais uma vez, demonstro minha preocupação com a ponte. Se essa ponte na Itália desabou por falta de manutenção, a Ponte de Igapó também pode desabar a qualquer momento. Faz mais de dez anos que alertei o DNIT, lá em Brasília, já reclamei aqui, já levei onze vereadores ao governador Robinson Faria, pedindo que ele providencie a manutenção na ponte, mas até agora nada foi feito. Quero só saber se, Deus nos livre, se a Ponte de Igapó cair, quem é que vai ser responsabilizado. A Universidade Federal já apresentou o problema, o Conselho de Engenharia, o Corpo de Bombeiros e milhares de pessoas passam todos os dias pela Ponte correndo risco de um acidente gravíssimo. Aqui em Natal, só vão fazer alguma coisa depois do desabamento?”, alerta Luiz Almir.

Confira matéria especial publicada pela UFRN

http://www.ufrn.br/imprensa/materias-especiais/13797/pesquisa-da-ufrn-aponta-que-79-dos-potiguares-nao-se-sentem-seguros-ao-transitar-na-ponte-de-igapo

 

ByJoão Ricardo Correia

Formado em Comunicação Social pela UFRN. Experiências profissionais em rádio, jornais, TV, informativos virtuais e assessorias de imprensa. Editor do Companhia da Notícia.

Deixe seu comentário

× Fale no ZAP