ANATEL PODE MULTAR OPERADORAS POR PROBLEMAS NA TELEFONIA CELULAR

18 jun por Henrique Goes

ANATEL PODE MULTAR OPERADORAS POR PROBLEMAS NA TELEFONIA CELULAR

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou hoje que constatou problemas no serviço de telefonia celular durante o jogo de abertura da Copa das Confederações, disputado no último sábado (15), no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Segundo a agência, o serviço funcionou de forma intermitente, e os problemas serão informados à Superintendência de Acompanhamento e Controle, que tomará as providências cabíveis.

Imagem de internet

A Anatel informou à Agência Brasil que tem 22 fiscais em ação na Copa das Confederações para acompanhar o desempenho e o tratamento das ocorrências nas redes nos estádios e imediações.

A reportagem da Agência Brasil esteve no jogo de sábado e conversou com diversos torcedores que relataram dificuldades em usar os serviços de telefonia móvel, especialmente a internet 3G.

Para que o sistema de telefonia e internet móvel funcionasse de forma adequada nos estádios, as empresas instalaram uma infraestrutura de equipamentos e antenas para suportar um grande número de acessos ao mesmo tempo. As cinco operadoras de telefonia móvel  – Vivo, Claro, TIM, Oi e Nextel – instalaram infraestrutura conjunta no estádio, que inclui antenas distribuídas para garantir a cobertura nas arquibancadas, camarotes, vestiários, corredores, praças de acesso e estacionamentos.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) informou que ainda espera receber mais informações das operadoras de telefonia para se manifestar sobre o funcionamento dos serviços nos três jogos já realizados pela Copa das Confederações.

Fiscais da Anatel também estão trabalhando nos estádios nos dias de jogo para fiscalizar o uso do espectro usado principalmente pelas empresas de broadcasting. Eles verificam a certificação dos equipamentos e as autorizações de uso de radiofrequência, como câmeras e microfones sem fio, rádios, links de satélite e antenas de micro-ondas. Esses fiscais, em média 16 por estádio, estão aptos para resolver casos de interferência entre as emissoras, se houver.

Fonte: Agência Brasil

ByHenrique Goes

Jornalista e radialista, potiguar, com experiências profissionais na FM Universitária da UFRN, O Jornal de Hoje, Tribuna do Norte e Rádio Assembleia.

× Fale no ZAP