Tag: segurança

6 mar por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Fugitivo é flagrado por câmera e termina preso vestido de mulher no carnaval

Vestido de mulher e disposto a brincar em um dos mais famosos blocos de carnaval de Salvador, Marcos Vinicius de Jesus Neri, 19 anos, acusado de homicídio, foi flagrado pelas câmeras de reconhecimento facial nas ruas da capital baiana. Procurado pela polícia há oito meses, o jovem foi preso.

Com mandado de prisão em aberto, o homem foi flagrado pelas câmeras enquanto estava no circuito Dodô, reconhecido pelo sistema, acabou detido pelos policiais militares que faziam a revista.

O homicida foi flagrado pelas câmeras instaladas em um dos Portais de Abordagens instalado na Barra

De Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, Neri é procurado desde julho de 2018 e foi primeiro a ser capturado com o auxílio da tecnologia, implantada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia.

13 fev por João Ricardo Correia Tags:, ,

Ministério da Justiça torna visitação em presídios federais mais rígida

Penitenciária federal de segurança máxima de Brasília.

O Ministério da Justiça publicou hoje (13), em edição extra do Diário Oficial da União, uma portaria tornando as regras para a visitação social de presos nos presídios federais de segurança máxima mais rígidas. As normas para as visitas sociais já tinham sido modificadas em agosto de 2017.

O texto da Portaria nº 157 estabelece que, nestes estabelecimentos, as visitas sociais ficarão restritas ao parlatório e à videoconferência, sob supervisão, e com o exclusivo propósito de manter “os laços familiares e sociais”. No parlatório, os cônjuges, companheiros, parentes e amigos previamente autorizados a visitar o preso ficarão separados por um vidro, conversando com o uso de um interfone. Apenas os presos que tenham assinado acordo de colaboração com a Justiça e os casos previstos em lei receberão tratamento diferenciado.

Em nota, o ministério explicou que, com a publicação da portaria, o Sistema Penitenciário Federal passa a ter uma regra única. Até então, o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) ou os diretores dos presídios federais podiam restringir as visitas sociais em pátio por meio de atos administrativos específicos. “Com a mudança, a visita social em pátio passa a ser uma exceção à regra”, informa a pasta.

5 fev por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará

Os 420 agentes da Força Nacional de Segurança Pública que estão atuando no Ceará desde o início da série de ataques criminosos começarão a deixar o estado esta semana. Segundo o secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, a desmobilização será “progressiva” e poderá ser automaticamente suspensa e revertida caso necessário.

A chamada Operação Terra da Luz, da Força Nacional, completou um mês ontem (4). Segundo Theophilo, mesmo “sem grandes números de apreensão” para apresentar, a iniciativa foi bem-sucedida, tendo ajudado a reduzir o número de ocorrências.

De acordo com o secretário, os ataques a ônibus, veículos particulares, estações de abastecimento de energia elétrica e outras instalações dos últimos dias não estão necessariamente associados à ação de organizações criminosas.

Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil / Brasília
Foto: José Cruz / Agência Brasil

4 fev por João Ricardo Correia Tags:,

Sergio Moro apresenta a governadores e secretários projeto de lei Anticrime

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, reúne-se hoje (4), em Brasília, com governadores e secretários de Segurança Pública para apresentar o projeto de lei Anticrime que será enviado Congresso Nacional. Segundo ele, a sociedade também deve demandar ao governo suas necessidades.

“É um desejo do brasileiro que ele possa viver um país mais seguro”, disse Moro na sua conta no Twitter.

Nas redes sociais, o ministro detalhou que a proposta considera que o crime organizado alimenta a corrupção e o tráfico de drogas e assim simultaneamente. “É um projeto simples e com impacto para enfrentar esses três problemas”, ressaltou o ministro.

Moro destacou que não está nas mãos do governo a solução dos problemas de segurança pública. “A sociedade tem de ter presente que o governo pode ser um ator, não tem condições de resolver todos os problemas, mas pode liderar de um processo de mudanças.”

Mudanças

Em ocasiões anteriores, Moro disse ser favorável à proibição de progressão de regime prisional quando houver prova de ligação do preso com organizações criminosas.

17 jan por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Prisões por ataques sobem para 383 no Ceará

O número de presos em razão da onda de ataques no Ceará subiu para 383. A atualização foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do estado ontem (16) à noite. Em meio ao cenário tenso de conflitos com as facções, o governador Camilo Santana esteve em Brasília e se reuniu com o Ministro da Defesa.

As ações de facções criminosas tiveram início no início do mês e deixaram em alerta todo o estado. Prédios públicos, viadutos, estradas, ônibus e locais com veículos foram incendiados ou atingidos de alguma forma pelos grupos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, as novas prisões ocorreram na capital, Fortaleza, na região metropolitana e municípios do interior. Conforme comunicado divulgado, as forças de segurança do estado e parceiras (como as enviadas pelo governo federal ou por Executivos de outros estados) seguem fazendo policiamento ostensivo “em locais estratégicos” e dentro de ônibus (o transporte coletivo é um dos alvos dos ataques).

Além das detenções (que incluem apreensão de adolescentes), a Polícia Civil comunicou a apreensão hoje de 700 quilos de explosivos em um apartamento em um bairro na capital Fortaleza.

Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil /  Brasília
Foto: José Cruz / Agência Brasil

8 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Servidores sem salários fazem proposta ao Governo e temem que operadores da Segurança recebam tratamento diferenciado

Integrantes do Fórum Estadual de Servidores foram, na tarde desta terça-feira, 8, ao Gabinete Civil do Governo do RN e protocolaram proposta, em resposta ao fatiamento salarial anunciado pela governadora Fátima Bezerra. Em áudio que circula por grupos de WhatsApp, uma voz feminina, que seria de uma sindicalista, alerta para o fato de o Governo poder privilegiar, pagando salários integrais, apenas a quem faz parte da Segurança Pública. Ao lado, reprodução do documento e abaixo do texto, o referido áudio. As propostas do Fórum:
  1. Que seja pago imediatamente o restante do 13° salário de 2017 aos servidores/as aposentados/as e pensionistas, em um montante de cerca de $ 40 milhões;

  2. Que no dia 14, seja concluído o pagamento do restante dos salarios relativos a novembro de 2018 e iniciado o pagamento do 13° de 2018 aos servidores/as que ganham até $4 mil;

  3. Que até o fim de janeiro, com a entrada de recursos antecipatorios e os ordinários possa dar continuidade e conclusão do 13° de 2018;

  4. Que no mês de fevereiro, siga-se a sequencia temporal, em que o próximo pagamento seja o salário de dezembro de 2018, para só após, a medida da possibilidade financeira, possam ser pagas as remunerações relativas ao exercício de 2019;

  5. Que os pagamentos dos aposentados/as e pensionistas ocorram na mesma data dos servidores ativos, respeitando -se a isonomia.

>>> OUÇA: [audio mp3="https://www.companhiadanoticia.com.br/wp-content/uploads/2019/01/SERVIDORES_FORUM_JAN2019_03-online-audio-converter.com_.mp3"][/audio]   Por João Ricardo Correia WEB RÁDIO COMPANHIA DA NOTÍCIA https://player.maxcast.com.br/companhiadanoticia    

4 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

AGU está autorizada a defender agentes que atuam na segurança pública

A Advocacia-Geral da União passará a defender os agentes públicos, atuantes na área de segurança pública, que venham a responder inquérito policial ou processo judicial em razão da profissão. A determinação consta na Medida Provisória 870, recém assinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). A MP altera a Lei 11.473/2007, que trata da cooperação federativa na segurança pública, e alcança todos os integrantes da Secretaria Nacional de Segurança Pública, incluídos os da Força Nacional, os da Secretaria de Operações Integradas e os do Departamento Penitenciário Nacional. De acordo com a medida, as atividades de cooperação federativa serão desempenhadas por militares dos estados, no âmbito do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Além disso, também serão desempenhadas pelos servidores das atividades-fim dos órgãos de segurança pública, do sistema prisional e de perícia criminal dos entes federativos.
4 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Bolsonaro critica valor de auxílio-reclusão ser maior que salário mínimo

O presidente Jair Bolsonaro usou hoje (4) o Twitter para dizer que avançará na discussão do valor do auxílio-reclusão, que atualmente ultrapassa os R$ 1,3 mil. Dois dias depois de assinar o decreto que reajusta o salário mínimo, de R$ 954 para R$ 998, ele criticou o fato de que auxílios sociais concedidos a presos ainda tenham valor superior da base de remuneração dos trabalhadores brasileiros. “O auxílio-reclusão ultrapassa o valor do salário mínimo. Em reunião com ministros, decidimos que avançaremos nesta questão ignorada, quando se trata de reforma da Previdência e indevidos. Em cima de muitos detalhes vamos desinchando a máquina e fazendo justiça!”, destacou no Twitter. Bolsonaro também defendeu mais apoio aos agentes de segurança pública para que executem suas tarefas. Ontem (3), durante reunião ministerial, Bolsonaro ressaltou a necessidade de redução de gastos públicos. O presidente defendeu uma revisão das contas e voltou a destacar a importância da reforma da Previdência em favor do ajuste financeiro. Ele indicou que a revisão do pagamento do auxílio-exclusão deve ser analisada no âmbito da reforma. O auxílio-reclusão é pago a dependentes do segurado do INSS preso em regime fechado ou semiaberto, durante o período de reclusão ou detenção. O período de recebimento do benefício varia, de acordo com critérios, mas pode ser pago de forma vitalícia. Segurança Em uma segunda postagem nesta manhã, o presidente defendeu a implantação de medidas que deem garantias de trabalho para os agentes de segurança pública. Segundo ele, os três Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário têm de assumir esse compromisso. “Sem garantias necessárias para os agentes de segurança pública agirem em prol do cidadão de bem, a diminuição dos crimes não vai ocorrer na velocidade que o brasileiro exige. Os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário têm que assumir este compromisso urgentemente.” Enxugamento Também no Twitter, Bolsonaro reiterou ainda a necessidade de enxugamento da estrutura do Estado. Foram exonerados mais de 300 funcionários que ocupavam cargos comissionados na Casa Civil. Haverá reavaliação, se quiserem retornar a seus postos. O critério será técnico, segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A medida foi transformada em recomendação para todas as áreas de governo, na reunião que ocorreu ontem no Palácio do Planalto. Bolsonaro disse que é necessário fazer revisão em contratos e liberação de recursos público para identificar desvios. “Em cima de muitos detalhes vamos desinchando a máquina e fazendo justiça”, disse. Por Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil / Brasília Foto: Wilson Dias / Agência Brasil
31 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Festa da posse de Bolsonaro tem detalhes checados e tudo cronometrado

Na véspera da posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (1º), todos os detalhes foram checados e cronometrados. Um forte esquema de segurança está organizado. A festa em si começa no início da tarde com o deslocamento do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e da primeira-dama Michelle em direção à Esplanada dos Ministérios. A cerimônia vai ser extensa e começa por volta das 14h, quando Bolsonaro e Michelle deixam a Granja do Torto rumo à Esplanada dos Ministérios. Pouco depois das 14h30, o presidente eleito e a primeira dama devem trocar de carro em frente à Catedral. Tradicionalmente, o desfile é feito em carro aberto, um Rolls-Royce, mas ainda não está definido se o percurso será feito nele ou em carro blindado. Os Dragões da Independência, policiais em carros, motocicletas e a pé os acompanham em direção ao Congresso Nacional. Pelo cronograma, o desfile do cortejo presidencial da Catedral até o Congresso ocorrerá às 14h45, com previsão de início da sessão solene de posse no Plenário da Câmara dos Deputados às 15 horas. Em frente ao Congresso, o presidente eleito subirá a rampa e seguirá para o plenário na Câmara onde será oficialmente empossado. Ele fará um discurso. Tradicionalmente, é neste momento que são enviadas mensagens ao Parlamento e à sociedade. Após o Congresso, Bolsonaro segue, por volta das 16 horas, para Palácio do Planalto. Haverá o Hino Nacional, revista às tropas, salva de 21 tiros e apresentação da Esquadrilha da Fumaça. No Planalto, ele sobe a rampa e segue para o Parlatório onde o presidente Michel Temer transmite a faixa presidencial. Ainda no Planalto, o presidente eleito recebe os cumprimentos e nomeia sua equipe ministerial formada por 22 integrantes. Há a fotografia oficial em que o presidente eleito posa ao lado dos ministros nomeados. A previsão é que por volta das 19 horas Bolsonaro siga para em cortejo para o Itamaraty. A recepção deve seguir até 21 horas. Segurança Ontem (30), sob um forte esquema de segurança, a equipe responsável pela cerimônia de posse do presidente eleito fez na Esplanada dos Ministérios o último ensaio. Após o ensaio, o atual ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse que os preparativos para a cerimônia estão prontos e que não houve grandes alterações em relação ao previsto no primeiro ensaio. “A festa está pronta, será segura e certamente vamos ter um dia primeiro para coroar o processo democrático que se iniciou lá atrás no primeiro turno [das eleições] no dia 7 de outubro”, disse o ministro. Por Agência Brasil / Brasília
27 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Bolsonaro pede apoio para garantias a agentes públicos de segurança

Às vésperas de assumir a Presidência da República, Jair Bolsonaro pediu o apoio de parlamentares para avançar em políticas destinadas a garantir a vida de agentes de segurança pública no exercício de suas funções. Em sua conta no Twitter, o presidente eleito fez um alerta sobre o impacto da segurança desses profissionais em outros setores. “É preciso o envolvimento dos congressistas para que avancemos nesta pauta e possamos resgatar a economia e tudo que cerca o bem-estar do cidadão e do turista em solo brasileiro”, disse Bolsonaro. “Economia, turismo, segurança e muitos outros temas estão diretamente ligados”, acrescentou. Segundo o presidente, a falta de segurança jurídica para as forças de segurança pública colocam o país como um dos que mais assassinam pessoas que desempenham a função e, junto com essa violência brutal, somam-se quase 70 mil homicídios por ano. Bolsonaro deve retornar hoje (27) para o Rio de Janeiro, depois de passar o feriado do Natal na Restinga da Marambaia, região litorânea do estado. A expectativa é que o presidente eleito e sua família desembarquem em Brasília no sábado (29) para se preparar para as cerimônias de posse. Por Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil / Brasília
3 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Berçário e Creche Ninar abre matrículas oferecendo conforto e segurança

O Berçário e Creche Ninar está com matrículas abertas, oferecendo conforto e segurança aos bebês. Em confortáveis instalações, conta com uma especializada equipe multidisciplinar, com pedagoga, nutricionista e suporte psicológico, além de espaço lúdico e alimentação inclusa. É uma excelente opção para quem não tem onde deixar suas crianças e precisa de tranquilidade para trabalhar ou desempenhar outras atividades, enquanto seus pequenos e pequenas ficam muito bem cuidados. O Ninar funciona na rua Maracanã, 7976, conjunto Cidade Satélite, Natal, próximo à Igreja de São Francisco de Assis e ao supermercado Superbox, atendendo de segunda à sexta-feira, das 07:00 às 19 horas. Contatos: 84 98724-3739 / 98633-7597 Instagram: @bercarioecrecheninar      
1 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Bolsonaro não vai prorrogar intervenção federal no Rio

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse ontem (30) que não vai prorrogar a intervenção federal no Rio de Janeiro. “Eu assumindo, não a prorrogarei”, enfatizou após participar da formatura de sargentos da Aeronáutica em Guaratinguetá, interior paulista. Bolsonaro disse que só permitirá que forças federais continuem a atuar na segurança pública se houver garantias que dificultem que esses agentes sejam processados por mortes em ações. Conforme o decreto em vigor, a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro deverá se encerrar em dezembro. Uma eventual prorrogação dependeria de um novo decreto a ser assinado por Bolsonaro após sua posse. “Eu quero uma retaguarda jurídica para as pessoas que fazem a segurança em nosso Brasil. Não posso admitir que os integrantes das Forças Armadas, da Polícia Federal, depois do cumprimento da missão respondam a um processo”, acrescentou ao dizer que só dará suporte federal dentro da previsão da Garantia da Lei e da Ordem com apreciação do Congresso Nacional. Mais tarde, em uma entrevista a emissoras católicas na sede de Canção Nova, Bolsonaro detalhou o que pensa sobre o assunto. “O que é a retaguarda jurídica? É a certeza que o homem que tem uma arma à sua disposição, caso seja obrigado a utilizá-la, no final da missão ele tenha a paz e a tranquilidade que não será submetida a uma auditoria ou tribunal do juri”, disse ao ser perguntado sobre o tema. O presidente eleito destacou que a segurança será um dos temas caros ao seu governo. “A segurança indo bem, o Brasil vai bem nos demais setores: economia, turismo, entre outros. E o que nós temos que fazer é uma legislação que iniba realmente as pessoas de cometer crime”, acrescentou. Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil / Cachoeira Paulista (SP)
14 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Ivênio Hermes: pesquisador é vítima de “juízes” e “especialistas” na internet

Nos últimos dois, três dias, "especialistas" e "juízes" formados e deformados em redes sociais passaram a agredir e condenar Ivênio Hermes, graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade da Amazônia, com experiência na área de Ciência Política, atuando, principalmente, nos temas: segurança pública, problemas sociais, gestão pública, violência homicida e direitos humanos. Pelo que entendi, os xingamentos seriam provocados pela relação de Ivênio com os direitos humanos. Ele está na equipe de transição da futura governadora Fátima Bezerra. Seu nome tem até sido citado como possível secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do RN, a partir de janeiro próximo. Conversei pessoalmente apenas uma vez com Ivênio, depois mantivemos contado por meio da internet, ele atuando como pesquisador e eu como jornalista. É um cidadão educado, inteligente, trabalhador, atencioso. Lutar pelos direitos humanos não é crime! Defender criminosos, sim, é injustificável. Não sei quais seriam as diretrizes do trabalho de Ivênio, caso ele viesse a ocupar a principal cadeira na Sesed, mas considero um absurdo a forma com que vem sendo destratado. O Brasil só vai melhorar quando esses radicalismos babacas acabarem, quando essas picuinhas deixarem de existir, quando o respeito entre os cidadãos e cidadãs prevalecer. Será que Ivênio não daria certo no comando da Segurança? E tantos que já passaram por lá, estrelados, famosos, que não resolveram nada??? Num país onde se fala tanto em educação, cultura, inteligência, não caberia um estudioso nesse cargo, auxiliado por uma equipe multidisciplinar tão dedicada quanto?! Acompanho a Segurança Pública do RN desde 1992, como repórter, indo atrás da notícia, fuçando, frequentando delegacias, quartéis, presídios, hospitais, necrotérios, ouvindo relatos, buscando provas, dando espaços para debates. Não sou, graças a Deus e ao meu trabalho, apenas mais um curioso. Quem me conhece sabe o quanto não gosto de bandidos, o quanto defendo rígidas ações policiais, leis mais fortes. Ivênio não é a primeira e não será a última vítima dos "donos do mundo" que se escondem na rede mundial de computadores e passam a denegrir pessoas e instituições. Ivênio desenvolve um trabalho sério de pesquisa sobre a violência, que serve de fonte de informações para milhares de pessoas. É reconhecido Brasil afora e tem muito com que colaborar para nosso sofrido Rio Grande do Norte, seja na gestão de quem for. A hora é de trabalho, união, bom senso. As eleições já fazem parte do passado. Depois, teremos novas oportunidades de votar, de reeleger, de não eleger, enfim, de exercer a democracia, mesmo cheia de questionamentos e falhas, mesmo dando oportunidades a bandidos que se elegem e metem a mão no dinheiro público, mas essa é outra história. João Ricardo Correia
8 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Futura ministra da Agricultura quer defender propriedade e frear “indústria de multa”

[caption id="attachment_54955" align="aligncenter" width="645"] Futura ministra Tereza Cristina concede entrevista em Brasília (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)[/caption] Confirmada para o Ministério da Agricultura, a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) afirmou hoje (8) como será o perfil da sua pasta. Segundo ela, os produtores esperam segurança jurídica, defesa da propriedade e um ministério “mais moderno”, incluindo aumento no número de acordos comerciais. A deputada federal vai se encontrar ainda nesta quinta-feira com o presidente eleito Jair Bolsonaro. Na conversa, ela disse que pretende saber o “tamanho” que o Ministério da Agricultura terá, se vai agregar a pesca e a agricultura familiar, por exemplo. A futura ministra avaliou que toda vez que o Brasil recebe “um chamamento” para produzir, o setor produtivo responde de forma “firme e acertiva”. “[Mas], é preciso ter mercado”, ponderou. Segundo Tereza Cristina, o Ministério da Agricultura deve se concentrar na produção sustentável e na redução do que chama de “indústria de multas”, repetindo a expressão utilizada com frequência pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. “Acabar com a indústria das multas, ter normas claras, ter um ambiente de negócios mais favorável. É o que o Brasil precisa para receber empreendimentos tanto externos quanto internos. Licenças serem mais ágeis não quer dizer perder segurança. Alguns processos precisam ser modernizados”, acrescentou. Ao ser questionada sobre propostas em tramitação no Congresso relacionadas à defesa de propriedade e que podem enquadrar ocupações como ações terroristas, Tereza Cristina evitou se posicionar sobre os temas. “Tenho um pouco de dúvidas porque já temos leis sobre isso. É uma coisa que tem de ser discutida com o [futuro] ministro [Justiça] Sergio Moro”, afirmou a deputada federal. Segundo ela, a equipe de transição trabalha também para analisar este tipo de assunto. Por Karine Melo - Repórter da Agência Brasil / Brasília
7 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Não importa de onde saiam, balas devem abater criminosos que tocam terror no Brasil

Era madrugada desta terça-feira, 7, e entre um sono e outro, ouvia a programação da rádio CBN. Num determinado momento, um entrevistado, que não consegui saber quem era, afirmava que 60 ONGs estão preocupadas com a possibilidade levantada pelo governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, de colocar atiradores de elite para abater os bandidos que portam fuzis e outras armas de guerra, em via pública. O tal sujeito ainda disse ter ouvido que drones poderiam ser usados nos ataques aos suspeitos e que isso era admissível. Segundo ele, o tráfico de drogas responderá à altura, podendo provocar mortes de inocentes. O que não mais podemos aceitar é a bandidagem ditando as regras. Evidentemente, mortes de inocentes são cruéis, lamentáveis, mas vêm ocorrendo há anos, sem que o Estado tenha se preparado para enfrentar os bandidos. Também é verdade que muitos policiais não agem de maneira mais severa, porque sabem que sofrerão punições. Não importa de onde venham as balas que acertem os marginais. O importante é que venham, e logo. As forças de segurança brasileiras precisam ter segurança jurídica para agir. A sociedade não pode mais ficar ajoelhada, deitada no chão, nos assoalhos dos ônibus, embaixo das camas, diante de criminosos covardes, sanguinários. Essa turma que anda abanando a bunda, portando fuzis, metralhadoras, deve mesmo ser abatida, pela continuidade da vida de homens e mulheres de bem, de crianças, de todos os brasileiros decentes. João Ricardo Correia
× Fale no ZAP