Tag: JORNALISTA

3 set por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Jornalista Wilma Wanderley será palestrante no Congresso da Neotv

[caption id="attachment_38661" align="aligncenter" width="620"]WILMAWANDERLEY1 Wilma Wanderley participa de Congresso da Neotv[/caption]   A jornalista Wilma Wanderley Fernandes, executiva da TV União Natal/Assu Telecom, será uma das palestrantes do Evento Regional Neotv - Expo e Congresso, que acontece hoje e amanhã, 4, no Grand Mercure Recife Atlante Plaza, na capital pernambucana. Wilma falará sobre a importância dos canais locais e regionais, que fidelizam assinantes, sendo um diferencial para as TVs à cabo. Saiba mais: http://neotv.com.br/eventos/neotv/59-2015/564-evento-recife CARTAZNEOTV  
25 ago por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jornalista Guto de Castro vai conversar com leitores no Parque da Cidade

GUTODECASTRO1 Escritor, jornalista, poeta, assessor de imprensa, formando em filosofia pela Faculdade Dom Heitor Sales (FAHS), além de especialista em Ética e Comunicação Social. Essas são as múltiplas funções e profissões de Guto Giovani de Oliveira Castro, ou simplesmente, Guto de Castro, que vai estar neste domingo (30) conversando com leitores no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte como convidado do projeto “O Escritor vem ao Parque”. Atualmente, Guto de Castro é articulista do Portal Planeta Jota, onde escreve conteúdos sobre filosofia, literatura e poesia; Diretor de Comunicação Social da Faculdade Dom Heitor Sales e Chefe da Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, além de editor do Programa Bom Dia com Poesia, no Facebook. Como escritor publicou “A Ribeira” (1994-1998), “O Quinto Mandamento” (1997), “Quem Matou Zefa Fauna?” (Lançado no Brasil em 2007 e na Argentina em 2010) e mais recentemente publicou o livro “13 Poemas Muito Ruins” (2013). Como jornalista, ele colaborou com artigos nos jornais Tribuna do Norte, Jornal de Natal e no Jornal de Hoje onde atuou desde 1999. Foi ainda diretor de comunicação da Fundação Judaica Bem Abraham; da Sherit Hapleitá do Brasil; da Federação das Associações Comerciais do RN; Associação Comercial do RN e Diretor de Redação da 3D Criações. O conjunto de seus artigos publicados sobre a Segunda Guerra Mundial no jornal “A Ribeira” ganhou o reconhecimento da Universidade dos Texas nos Estados Unidos pelo conjunto de sua obra sobre a Segunda Guerra Mundial (2002), além do Prêmio Listel de Jornalismo (1997). O bate-papo com Guto de Castro começa às 16 horas, na biblioteca do Parque da Cidade. O projeto “O Escritor vem ao Parque” já levou os escritores Pablo Capistrano, Glácia Marillac, Cefas Carvalho, Nando Poeta e Lívio de Oliveira para conversar com leitores e contar como é o processo de criação, onde encontra inspiração para escrever, etc. E no dia 04 de setembro, o Coral Santa Cecília irá se apresentar no auditório do Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, às 16 horas, dentro do projeto “Canto no Parque”. Fonte: Assessoria de Imprensa do Parque da Cidade
20 ago por João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Aniversariante presenteia torcida do “Mais Querido” com “O Rosto Alegre da Cidade”

RUBENSLEMOSFILHO1 Ao completar hoje mais um ano de vida, o jornalista Rubens Lemos Filho, lançará às 19 horas, no Clube dos Radioamadores do RN, em Natal, o livro “O Rosto Alegre da Cidade”. Apaixonado e dedicado em tudo que faz, Rubinho, como é mais conhecido, selecionou 67 crônicas sobre alguns dos principais momentos do ABC Futebol Clube, o "Mais Querido". Parabéns, caro Rubinho! Os milhares de alvinegros agradecem o presente. Seria maravilhoso que, a partir de agora, a diretoria do Clube criasse vergonha e, ao invés de misturar politicagem com futebol, resolvesse respeitar seus milhares de torcedores e a brilhante história do alvinegro.

=.=..=.=.=.=.=.=.==.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=

AGENDA O ministro da Saúde, Arthur Chioro, participa nesta quinta-feira (20) de vários encontros com representantes do governo alemão, durante a visita da chanceler Angela Merkel ao Brasil. Às 9 horas, Chioro recebe, no Ministério da Saúde, o ministro da saúde da Alemanha, Hermann Grohe. Na reunião, será discutida a cooperação nas áreas de gestão da saúde, atenção à saúde, práticas regulatórias e pesquisa em saúde. AGENDA 2 Às 11h20,  o ministro Chioro participa de reunião no Palácio do Planalto, com as presidentas do Brasil, Dilma Rousseff, e da Alemanha, Ângela Merkel, juntamente com vários ministro brasileiros e alemães. Às 13h, Arthur Chioro estará presente na declaração à imprensa, realizada no Palácio do Planalto. MULHER A deputada estadual Cristiane Dantas (PCdoB), apresentou durante a audiência pública "Justiça pela Paz em Casa", na tarde desta quarta-feira (19), a proposta de dois projetos de lei que pretendem reforçar a política pública de enfrentamento à violência contra as mulheres. MULHER 2 Um dos projetos é o que pretende instituir no calendário oficial do Estado o "Mês de Proteção à Mulher", durante o mês de agosto, em virtude da data de sanção da Lei Maria da Penha. Este projeto também propõe que a Secretaria Estadual de Educação inclua no planejamento pedagógico das escolas estaduais o debate sobre a igualdade de gênero e a formação cidadã. MULHER 3 O segundo projeto de lei trata sobre a implementação, pela Secretaria de Segurança Pública, da “Patrulha Maria da Penha Estadual”. O objetivo é que semanalmente patrulhas da PM visitem as mulheres que estão sob medida protetiva da justiça e, desta forma, garantam o cumprimento da Lei Maria da Penha. De janeiro a junho deste ano, o Juizado da Violência Doméstica – Comarca Natal emitiu um total de 345 medidas protetivas às mulheres vítimas da violência doméstica na capital. RN NA TV O regresso do Rio Grande do Norte à vitrine do turismo nacional tem despertado o interesse da mídia em transmitir programas que mostrem o potencial cultural, turístico e folclórico do Estado potiguar. Além das 36 matérias a serem exibidas na Record, SBT e RedeTV a partir de setembro, a TV Brasil também desembarca no RN nesta quinta-feira (20) para gravar um especial para o programa Expedições, totalmente dedicado ao Lajedo Soledade, situado na Chapada do Apodi, região Oeste potiguar. RN NA TV 2 A logística para receber a equipe de reportagem foi montada pelo Governo do Estado, via Secretaria de Estado do Turismo e Emprotur, com recursos do projeto RN Sustentável. O ‘Expedições’ está na TV aberta há 19 anos, em rede nacional, exibido aos sábados, a partir das 12h30. A direção é da jornalista Paula Saldanha, que há mais de 30 anos documenta a riqueza étnica, natural e cultural do Brasil. O projeto de documentação foi iniciado em 1977 com o biólogo Roberto Werneck, já com premiações no país e no exterior. TRANCA RUA Quem obstruir indevidamente a via pública poderá ficar preso de um a dois anos e ser multado, de acordo com Projeto de Lei 6268/09, do deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL), aprovado nesta terça-feira (18/8) pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara.  A proposta ainda será votada em Plenário. Os casos de bloqueio podem incluir, por exemplo, o depósito de mercadorias na via ou uma manifestação política que impeça o tráfego de veículos. TRANCA RUA 2 Na justificativa, o parlamentar afirma que os bloqueios por causa de protestos são “prática perigosa e deletéria que, além de piorar a segurança no trânsito e agravar o risco de acidentes, acarreta prejuízos diversos, mormente na esfera econômica das pessoas direta ou indiretamente atingidas”. A VAGA É MINHA Os eleitores de Natal precisam ficar atentos: nas eleições do próximo ano, políticos encalacrados com a Justiça colocarão mulher, primo, gato, cachorro, papagaio, o diabo para concorrerem às vagas que serão deixadas por ele. Serão deixadas por falta de voto ou pela condenação judicial. Vamos aguardar. ACESSOS Muito obrigado aos internautas que acessam, diariamente, o Portal Companhia da Notícia, parceiro da TV União de Natal. Os dois veículos ficam honrados com tanta gente bacana curtindo, comentando e compartilhando suas notícias por meio do Facebook e Twitter. É sempre bom lembrar: essa parceria é sinônimo de credibilidade e seriedade acima de tudo. DEFUNTA Um sujeito levou a mulher e a sogra para conhecerem Jerusalém. Chegando lá, a velha não aguentou a emoção de conhecer a Terra Santa, teve um ataque cardíaco e morreu. Depois de tomar as providências necessárias, o casal descobriu que trasladar o corpo de volta para o Brasil custaria 10 mil dólares. — Meu bem — disse a esposa ao marido —  se quiser,  podemos enterrar mamãe aqui mesmo. Não me importo. — NÃO! — disse-lhe o marido — em Jerusalém não a enterro de jeito nenhum! — Por que, meu amor? — Vai que ela resolve imitar Jesus Cristo e ressuscita depois de três dias!!! Entre em contato comigo: E-mail: [email protected] WhatsApp: (84) 9 9401-5905 Twitter: @joaoricardo_rn
23 abr por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Jornalista Thaisa Galvão reforça equipe do Jornal da Noite

[caption id="attachment_33684" align="aligncenter" width="983"]THAISAGALVAO1 Jornalistas Eugênio Bezerra, Juliana Celli e Thaisa Galvão comandarão o Jornal da Noite, na 95 FM[/caption] O Jornal da Noite completa dois anos dentro da programação da rádio 95fm trazendo um resumo das notícias que marcaram o dia: informações sobre o trânsito, política, economia, polícia, cidades e os fatos mais importantes comentados pelos jornalistas Eugênio Bezerra e Juliana Celli, além de entrevistas exclusivas. O jornal, ágil e descontraído, passa a ter uma hora de duração e ganha o reforço da jornalista Thaisa Galvão, que tem um dos blogs (www.thaisagalvao.com.br) mais acessados e conhecidos do Rio Grande do Norte. Thaisa Galvão estreia na próxima segunda-feira, 27 de abril. O Jornal da Noite vai ao ar de segunda à sexta-feira, das 18h às 19h.   Com informações do Jornalismo da 95FM
10 fev por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Carta Capital terá que indenizar diretor da IstoÉ por acusação falsa

JUSTICA8 A revista Carta Capital e o jornalista Leandro Fortes foram condenados a indenizar o jornalista Eumano Silva, diretor da revista IstoÉ. A ação de indenização por danos morais foi motivada por reportagem que acusava o autor da ação de pertencer à quadrilha de Carlinhos Cachoeira, alegando que ele era encarregado de “plantar” na mídia informações que beneficiavam empresas das quais Carlinhos é sócio. A decisão foi do juiz de direito substituto Matheus Stamillo Santarelli Zuliani, da 1ª Vara Cível de Brasília. Na ação, Eumano Silva alegou que Leandro Fortes é seu inimigo pessoal e que aproveitou a reportagem intitulada "Temer, os Marinho e a CPI”, publicada pelos réus, para associá-lo às investigações da operação "monte carlo". Por conta disso, ele pediu R$ 500 mil por danos morais e retratação pública retirando as acusações feitas na reportagem ou a publicação da sentença na Carta Capital e em jornais de grande circulação. Em sua defesa, a revista alegou que a reportagem foi feita com a intenção de narrar um fato, já que a matéria seria de interesse público. A defesa ainda disse que sua fonte é fidedigna e que não houve ato ilícito que implicasse o dano moral alegado. Já Leandro Fortes alegou ilegitimidade passiva por não ser responsável pela elaboração da reportagem e, sim, a redação da revista, e que ele teria o papel limitado de apenas reportar fatos verídicos, de interesse público e de fontes fidedignas. Fortes sustentou ainda que o advogado de Idalberto Matias Araújo, homem de confiança de Carlinhos Cachoeira e sua fonte de informações, reconheceu que o trabalho de Eumano Silva era de abastecer os veículos de comunicação, como publicado na reportagem. O juiz do caso, no entanto, observou que ambos os réus têm legitimidade para ocupar o polo passivo da demanda: a revista por ser responsável pela seleção de informações e publicação da matéria veiculada; o jornalista por ser o autor da reportagem, devendo responder pelo conteúdo publicado. Com base na súmula 221 do Superior Tribunal de Justiça, “são civilmente responsáveis pelo ressarcimento de dano, decorrente de publicação pela imprensa, tanto o autor do escrito quanto o proprietário do veículo de divulgação”. O magistrado entendeu também que o jornalismo envolve a colisão de dois direitos fundamentais que são a liberdade de informação e a tutela dos direitos da personalidade (honra, imagem e vida privada): “Portanto, tal atividade não é absoluta, devendo ser exercida com ponderação, sempre objetivando transmitir a notícia, sem ingressar na esfera subjetiva do personagem envolvido.”. Para Zuliani, não ficou comprovada a acusação de conduta criminosa por parte do Eumano Silva. A reportagem, diz a sentença, extrapola os limites da razoabilidade, pois desqualifica a imagem profissional do autor perante a sociedade, colocando-o como membro de uma conhecida organização criminosa. Com esses entendimentos, o juiz determinou o pagamento de R$ 35 mil pela revista ao diretor da IstoÉ como reparação por danos morais e aceitou o pedido de retratação como um direito de resposta do acusado, “uma vez que permitirá aos leitores do semanário requerido terem ciência efetiva a respeito do abuso de direito praticado pelos réus, sendo uma resposta, ainda que dada pelo Poder Judiciário, a respeito da matéria jornalística inverídica publicada”, concluiu. A revista Carta Capital também deverá veicular todo o conteúdo da sentença  num prazo de 10 dias, sob pena de pagamento de multa diária no importe de R$ 5 mil, até o limite de R$ 100 mil.   Fonte: Consultor Jurídico
31 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Estágio para jornalista em área de conflito – Uma preparação eficiente

JORNALISTAUCRANIANOEB O Centro de Comunicação Social do Exército recebeu uma mensagem de um ex-integrante do Estágio para Jornalista em Área de Conflito realizado pelo Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), sediado no Rio de Janeiro, cujo teor enaltecia as atividades desenvolvidas durante a atividade e o quanto o aprendizado lhe foi útil. A finalidade do Estágio é transmitir conhecimentos específicos das operações de paz em ambiente de conflito, sob a égide das Nações Unidas e o aluno, durante as duas semanas de intensas atividades, recebe noções sobre características, particularidades e aspectos relacionados à segurança neste tipo de ambiente operacional, buscando propiciar aos profissionais da imprensa informações e cuidados necessários à realização de suas reportagens. O jornalista, ucraniano, atua como repórter especial da Revista Tecnologia & Defesa, cobrindo a guerra da Ucrânia e frequentou a primeira turma em 2008. Sua mensagem apresentava o seguinte teor: "Tive a honra de fazer parte da turma pioneira do curso de corresponde em areas de conflito no entao CIOPAZ, do EB, em 2008. Lá me ensinaram que em terreno minado ou suspeito se caminha pisando no mesmo local daquele que segue à frente, na coluna. Com isso sempre em mente, segui atrás de um soldado, caminhando sobre suas pegadas em meio à neve, que chegava às canelas. Não tirava meu olho dos passos dele. Esse foi um detalhe que salvou minha vida e a do meu desatento acompanhante, que seguia logo atrás de mim e não parava de falar, emocionado por estar a poucas centenas de metros de distância das linhas separatistas. Durante a caminhada, momento em que atravessávamos um cemitério, eu vi um fio quase encoberto a apenas um passo de mim, que cruzava o caminho e que, aparentemente - para sorte dele -, não havia sido notado pelo soldado a minha frente. Num golpe de reflexo eu parei, a neve ajudou a me segurar e com os dois braços eu segurei o acompanhante que já iria "me ultrapassar". Foi por pouco. Era uma armadilha, com um fio conectado a um explosivo e que teria nos levado pelos ares...   Fonte: Agência Verde Oliva
27 jan por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Jornalista contratada como pessoa jurídica consegue vínculo com emissora

DFRECORD Uma ex-apresentadora de telejornal obrigada a constituir empresa para exercer a função de jornalista teve reconhecido vínculo de emprego com a Rádio e Televisão Capital (TV Record Brasília). A Justiça do Trabalho rejeitou o argumento da empresa de que se tratava de trabalho autônomo. De acordo com a decisão, o trabalho autônomo só se configura quando há inteira liberdade de ação e o trabalhador atua como patrão de si próprio, com poderes jurídicos de organização própria, desenvolvendo a atividade por sua conta e iniciativa. Na ação, a jornalista pretendia o reconhecimento de vínculo com a Rádio e TV Capital de fevereiro de 2006 até março de 2013, alegando ter havido fraude no contrato e simulação de pessoa jurídica. Segundo ela, para ser contratada a emissora impôs a condição de que se constituísse como pessoa jurídica, com a qual celebrou contrato, renovado desde então. O contrato estipulava que a jornalista faria parte do "cast" da emissora na apresentação e produção do telejornal DF Record e atuaria como comentarista e entrevistadora, dentre outras. Em sua avaliação, o contrato objetivou ocultar a relação de emprego e burlar a legislação trabalhista. Além do reconhecimento do vínculo, pediu o pagamento de adicional por acúmulo de funções, por também ter atuado como produtora de jornalismo e de moda, editora de texto e repórter. A emissora sustentou que a jornalista era autônoma e que a relação era regida por contrato de prestação de serviços, estipulando-se que a microempresa constituída por ela prestaria serviços de cunho jornalístico. No entanto, o juízo de primeiro grau afastou a hipótese de trabalho autônomo, explicando que este só se configura quando há inteira liberdade de ação. Segundo as testemunhas, a jornalista recebia ordens, era fiscalizada e não podia faltar sem justificativa, aspectos que comprovaram requisitos da relação de trabalho como subordinação, não eventualidade e onerosidade. O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF e TO) manteve a sentença e negou seguimento ao recurso da empresa, que interpôs então o Agravo de Instrumento examinado pela 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho. O relator, ministro Alberto Bresciani, manteve os fundamentos do TRT para negar provimento ao recurso. De acordo com ele a discussão sobre a impossibilidade de reconhecimento da relação de emprego, como proposta pela Record, exigiria o reexame de fatos e provas, procedimento vedado pela Súmula 126 do TST.   Fonte: Consultor Jurídico, com informações da Assessoria de Imprensa do TST
29 set por João Ricardo Correia Tags:, , ,

Justiça obriga Sindicato dos Jornalistas a inscrever sem diploma

DIPLOMA_UFPRBR A atual jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho e no Supremo Tribunal Federal torna dispensável o diploma de curso superior em Jornalismo como requisito para o exercício da atividade de jornalista. Desse modo, os jornalistas, com ou sem diploma, têm o direito de se associar no sindicato dessa categoria profissional. O entendimento levou o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) a reformar sentença que indeferiu pedido para permitir a sindicalização de jornalistas que, embora trabalhem na área, não têm o curso de formação superior. Com a decisão, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul não pode mais exigir a comprovação de conclusão do curso como requisito básico para aceitar a filiação sindical de quem trabalha nesta área. Em caso de descumprimento, o colegiado arbitrou multa de R$ 1 mil para cada infração comprovada. O valor, se pago, será revertido para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. A relatora do recurso do Ministério Público do Trabalho (MPT-RS), juíza convocada Ângela Rosi Almeida Chapper, da 5ª Turma, observou no acórdão que a entidade sindical é a representante máxima dos interesses coletivos da categoria. Por isso, o sindicato réu deve aceitar a filiação, em seu quadro associativo, dos interessados que exerçam a profissão. Citou também a jurisprudência da corte, da lavra do desembargador Gilberto Souza dos Santos. Registra a decisão (AIRR 0001499-58.2011.5.04.0014 ): ‘‘A exigência de diploma de curso superior para a prática do jornalismo — o qual, em sua essência, é o desenvolvimento profissional das liberdades de expressão e de informação — não está autorizada pela ordem constitucional, pois constitui uma restrição, um impedimento, uma verdadeira supressão do pleno, incondicionado e efetivo exercício da liberdade jornalística, expressamente proibido pelo art. 220, § 1º, da Constituição’’. O acórdão foi lavrado na sessão de 28 de agosto, Ação Civil Pública O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul ajuizou Ação Civil Pública na 22ª Vara do Trabalho de Porto Alegre com o objetivo de compelir o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado a aceitar a sindicalização de jornalistas não-diplomados. O pedido se deve ao fato de que muitos profissionais foram impedidos de se sindicalizar, motivando a abertura de Inquérito Civil. O MPT-RS argumenta que o Supremo Tribunal Federal, no Recurso Extraordinário 511.961, julgado em junho de 2009, admitiu a possibilidade ampla do exercício da profissão de jornalista. Assim, não pode haver mais exigência do diploma de curso superior para associação sindical. O sindicato apresentou contestação, afirmando que a decisão do STF apenas autoriza qualquer pessoa a exercer a profissão de jornalista, o que não significa que se lhe reconheça esse título. Argumentou que a mesma terminologia, dada à atividade de jornalista e à profissão de jornalista, traz prejuízos para a compreensão do tema, destacando que não é possível torná-las equivalentes. Informa que aceita como associados profissionais que não possuam diploma de conclusão do curso superior de Jornalismo, desde que se enquadrem nas categorias de diagramador, repórter ou ilustrador. Sentença improcedente O juiz do Trabalho Edson Pecis Lerrer observou que o pedido não diz respeito ao alcance da representatividade do sindicato, mas tão-somente ao direito de sindicalização de alguns profissionais do Jornalismo. ‘‘Há na presente ação o confronto entre dois princípios basilares do sistema jurídico trabalhista: de um lado, a liberdade sindical ampla concedida às entidades sindicais, como o direito de dispor sobre seus estatutos e organização interna; e, de outro, o direito dos trabalhadores à sindicalização’’, disse. Para ele, o pedido do MPT esbarra na ampla liberdade dada às entidades sindicais após a Constituição Federal de 1988, já que o artigo 8º elege como diretriz a liberdade de criação e funcionamento dos sindicatos. Com isso, veda a intervenção na organização sindical. Afinal, a própria Constituição assegura que ninguém será compelido a filiar-se ou manter-se filiado a sindicato. Por outro lado, a seu ver, a decisão do Supremo Tribunal Federal não desmaterializou o diploma de jornalista. Só o tornou ‘‘prescindível’’ para o exercício da profissão. Isso porque o cerne da decisão visa resguardar o direito à livre manifestação do pensamento, no feixe das chamadas ‘‘obrigações negativas’’ — de não fazer. ‘‘O que se valoriza, na decisão desta ação em particular, e nos limites do pedido, são os princípios da autonomia e da liberdade sindicais e, nesse sentido, a conclusão que se obtém é que não se pode obrigar o sindicato réu a aceitar associados que não estejam enquadrados em seus requisitos estatutários. Diante do que se disse, a ação é improcedente’’, concluiu o juiz.   Fonte: Consultor Jurídico
4 maio por Henrique Goes Tags:, ,

UNESCO REVELA QUE DE 10 HOMICÍDIOS CONTRA JORNALISTA POR CAUSA DO TRABALHO APENAS UM É JULGADO E TEM O AUTOR PUNIDO

Em terra de rabo preso, caneta e bloco não mão pode ser sentença de morte. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) informou que, quase toda semana, registra a morte de mais de um jornalista em decorrência da atividade profissional. Além disso, em média, um entre dez crimes contra jornalistas é levado aos tribunais e punido. [caption id="" align="aligncenter" width="380"] Imagem de internet[/caption] Este ano, o principal evento que marca a data está programado para amanhã (4) na Costa Rica – uma conferência internacional que discute temas como a garantia da segurança de jornalistas e profissionais da mídia, o combate à impunidade de crimes contra a liberdade de imprensa, além da segurança online. No encontro devem ser examinadas as dificuldades e os obstáculos que impedem as investigações de ataques contra a liberdade de imprensa, os meios de superá-los e as melhores práticas na luta contra a impunidade. A estimativa da Unesco é que, durante a última década, mais de 600 jornalistas tenham sido assassinados em todo o mundo. Apenas no ano passado, o órgão condenou o assassinato de 121 profissionais da mídia. “Garantir a segurança dos jornalistas tornou-se uma prioridade, e a Unesco liderou a elaboração do Plano de Ação das Nações Unidas sobre a Segurança dos Jornalistas e a Questão da Impunidade”, destacou o órgão. O pacote de ações prevê que as agências da Organização das Nações Unidas (ONU) e seus parceiros trabalhem juntos para criar um ambiente de trabalho mais seguro para os jornalistas. A versão em português do plano está disponível no sitewww.segurancadejornalistas.org.   Com informações da Agência Brasil
6 mar por Henrique Goes Tags:, ,

SENADO ESTUDA INCLUIR BLOGUEIROS NO PROJETO QUE PRETENDE FEDERALIZAR INVESTIGAÇÃO DE CRIMES CONTRA JORNALISTAS

Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional aprovou um relatório em apoio ao PL 1078/2011,  o qual dita a participação da Polícia Federal na investigação de crimes contra jornalistas. Dentre os conselheiros, parte defendeu uma abrangência de tal prerrogativa a todo profissional que atue na área de comunicação social. [caption id="attachment_4724" align="aligncenter" width="395"]jornal Imagem de internet[/caption] A representante da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ), Maria José Braga defendeu uma "federalização" das investigações contra "profissionais de comunicação no exercício de sua atividade". Neste rol, serão incluídos os blogueiros. IMPUNIDADE GERA CRIMES Ao justificar sua posição quanto a ampliação do benefício, Maria José lembrou que no ano passado foram assassinados pelo menos três jornalistas e sete outros que eram radialistas ou pequenos empresários de comunicação. E, segundo ela, a participação da Polícia Federal seria a garantia "de uma investigação mais isenta, fora dos interesses locais, com o objetivo de reduzir a impunidade reinante no país quando se trata de crimes contra esses profissionais". A representante da FENAJ destaca que a das motivações dos crimes contra os profissionais da comunicação, a impunidade tem grande peso. Ela acrescentou que ressaltou que em vários casos estão envolvidos policiais civis ou militares. O autor do projeto, que tramita na Câmara, é o deputado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP). De acordo com o texto original, a participação da Polícia Federal nessas investigações ocorreria quando fosse constatada "omissão ou ineficiência das esferas competentes". A proposta altera a Lei 10.446/2002.   Com informações da Agência Senado
× Fale no ZAP