Tag: agricultura

4 dez por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Faern promove seminário com ex-ministro e entrega medalha do Mérito Rural

O Sistema Faern/Senar realiza na próxima quinta-feira (06) o 4º Seminário Cenário Econômico e Político para o Setor Rural em 2019, que terá como palestrante o ex-ministro da Agricultura do Brasil, Alysson Paolinelli. O evento também marcará a entrega das Medalhas do Mérito Rural Senador Moacyr Duarte às personalidades que mais se destacaram no setor rural em 2018. O prêmio é considerado a maior honraria concedida pela Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Rio Grande do Norte (Faern) aos nomes que se destacaram em prol do fortalecimento das atividades rurais no RN. Pela primeira vez esse ano foi incluída na entrega de medalhas a categoria Jornalista. As demais categorias são Política, Científica, e Produtor Rural. Os nomes agraciados foram escolhidos por representantes de entidades que compõe a comissão da medalha. O evento reunirá autoridades políticas, nomes ligados ao setor agropecuário, produtores rurais de todo o Estado e será realizado a partir das 19h no Boulevard Recepções (Av. Maria Lacerda Montenegro, s/n, Nova Parnamirim). Confira os nomes dos agraciados por categoria: Política: Guilherme Saldanha (Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca do RN); Científica: Adriano Rangel (Professor-Doutor – Escola Agrícola de Jundiaí); Produtor rural: João Patriota (In Memorian) Jornalista: Woden Madruga. Fonte: Assessoria de imprensa do evento
28 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Aumento da produção de etanol de milho deve baratear combustíveis

A Comissão de Agricultura (CRA) debateu nesta terça-feira (27) o aumento dos investimentos na produção de etanol de milho na região Centro-Oeste. Debatedores e senadores destacaram o potencial da produção para gerar renda e abastecer o país, contribuindo para a redução do preço médio dos combustíveis. O representante do Ministério das Minas e Energia (MME), Marlon Leal, alertou que o mercado de etanol proveniente da cana está estagnado nos últimos anos, o que torna "muito bem-vindos" os recentes investimentos no etanol de milho. Ele apresentou estudos da pasta que demonstram que o crescimento do setor de etanol acaba trazendo para baixo no preço dos combustíveis em geral, por ser um produto mais barato. Os dados do MME baseiam-se em levantamentos feitos no estado de São Paulo. — Desde 2006 o etanol é mais barato. Esse é um dado já consolidado. Portanto quanto mais se oferta e se usa dele, maior é seu impacto na cesta de combustíveis. Só em 2018 o consumidor paulista economizou R$ 1,7 bilhão em combustíveis, comparado com o que gastaria caso não se ofertasse etanol. Desde 2006, a economia já chega a R$ 28 bilhões — detalhou Leal.
1 nov por João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Preço do milho na Conab fica igual ao mercado normal e Anorc alerta para prejuízos, sobretudo no semiárido

Criadores e produtores potiguares estão indignados com a Portaria do Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep), publicada esta semana e que autoriza a Conab a comercializar, até o próximo dia 31 de dezembro, 100 mil toneladas de milho dentro do Programa Venda em Balcão para produtores rurais de todo o país. O motivo é que, apesar do preço pleiteado para a saca de 60 Kg de milho ter sido de R$ 33, a portaria liberou a Conab para vender cada saca por nada menos que R$ 51,66, valor muito semelhante ao praticado no mercado normal (no qual uma saca de milho, com 50KG, sai por R$ 50,66. O diretor da Associação Norteriograndense de Criadores (Anorc), Acácio Brito, afirma que o preço “inviabiliza o uso do produto, sobretudo pelos produtores de menor porte e aqueles que estão baseados em regiões de reconhecida baixa produtividade, como é o caso do nosso semiárido”. “Infelizmente, o preço autorizado foi uma ducha de água fria no setor, que é extremamente dependente do milho subsidiado da Conab para viabilizar a alimentação dos animais. Nossa ideia agora é unir forças com as demais entidades representativas de todo o setor produtivo potiguar e fazer um apelo pela união da nossa bancada em torno do tema. A ideia é voltarmos ao Ministério da Agricultura para pedir que a saca do milho subsidiado fique mesmo em torno dos R$ 33 a saca”, diz Brito. Fonte: Graphos Comunicação
20 set por João Ricardo Correia Tags:, , , , , , ,

Expofruit 2016 tem expectativa de movimentar R$ 40 milhões em negócios

expofruit_2016 Com o tema “Mais Longevidade para você e seus Negócios”, a Feira Internacional da Fruticultura Tropical Irrigada – Expofruit, principal evento do setor no Brasil, acontece de 21 a 23 de setembro, no Expocenter/UFERSA, em Mossoró, com a expectativa de movimentar R$ 40 milhões e de receber um público de cerca de 15 mil pessoas nos três dias da feira. A Expofruit está completando vinte anos de realização da feira, gerando oportunidades de negócios, estímulo a produção e a divulgação das frutas produzidas no Rio Grande do Norte. “Temos uma expectativa muito grande em relação a feira. Prevemos que conseguiremos atingir nossos objetivos ao integrar os membros da cadeia produtiva, ampliar os negócios e mostrar a importância do setor para a região de Mossoró e para o Rio Grande do Norte”, afirma Luiz Roberto Barcelos, presidente do Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (Coex), organizador do evento.
26 jan por Marcelo Hollanda Tags:, , , ,

As prioridades do novo governo revelam desprezo pela agricultura

AGRICUL2 Enquanto o orçamento dos poderes e os próprios salários do governador Robinson Faria e de seus secretários duplicam, merecendo até destaque na imprensa nacional, o valor a ser repassado para as contrapartidas de financiamentos federais à agricultura dos R$ 850 milhões do empréstimo do Governo do Estado junto ao Banco do Brasil não atingirá nem 1% do montante captado. Será de R$ 5 milhões. Isso mesmo: depois de três anos de seca e indicadores caóticos na agricultura. Por aqui, camarão, castanha, frutas amargam quedas sucessivas que expõem a fragilidade do setor produtivo e, mesmo assim, a prioridade para da agricultura é posta aquém na lista de investimentos possíveis,  sem qualquer explicação que justifique. Não é novidade que 90% do território do RN está no semiárido, o que não foi obstáculo para que muitos setores produtivos se firmassem nos últimos anos, a despeito do ambiente hostil para os negócios. Tanta hostilidade foi patrocinada em parte pelo imobilismo das administrações anteriores, é verdade. Só que na hora de distribuir as prioridades, a novíssima administração não esconde seu desprezo por um setor que move o país.
25 mar por João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Chuvas ainda não são suficientes para desativar Comitê da Seca

Joaquim Pinheiro O secretário da Agricultura do RN, Tarcísio Bezerra, reuniu-se com coordenadores no final da tarde desta segunda-feira para pedir empenho para realização de ações e programas da pasta que se encontram em andamento. Inicialmente, ele informou sobre o que foi feito até agora e anunciou a decisão da governadora Rosalba Ciarlini de não desativar o Comitê da Seca, mesmo com a continuidade das chuvas. “A determinação da governadora é agirmos como se o Estado tivesse vivendo em período de seca, mesmo com a expectativa de 2014 ser um ano de chuvas regulares”, disse o secretário. Tarcísio Bezerra informou que dentro de 60 dias será reativada a irrigação de 3 mil hectares no projeto Osvaldo Amorim, no Alto do Rodrigues. Disse também, que o calendário de eventos da secretaria para este ano será mantido, com destaque para várias ações importantes para o homem do campo, a exemplo do RN Sustentável e conclusão do Terminal Pesqueiro, por exemplo. Tarcísio Bezerra fez referência na reunião com os coordenadores aos projetos de cajucultura, caprinovinocultura, apicultura e piscicultura, este último com a construção da Estação de Piscicultura na Barragem de Santa Cruz em Apodi. “Quero destacar também um assunto da maior importância para o Rio Grande do Norte que é a recomendação de auditores da OIE para que o Nordeste seja reconhecido como área livre da aftosa com vacinação”, ressaltou, anunciando ainda, que o Chile liberou a entrada de frutas para aquele País da América do Sul. SEMINÁRIO O secretario da Agricultura também fez referência à realização de dois seminários, sendo um nos dias 3 e 4 deste mês, para discutir ações pró-ativas de enfrentamento da seca, com participação de representantes de outros Estados da Federação e outro para discutir sustentabilidade hídrica. Sobre o programa do leite o secretário disse que o pagamento está sendo colocado em dia, a exemplo das sementes que também terá o pagamento regularizado até final deste mês.
8 maio por Henrique Goes Tags:, , ,

AGRICULTORES FAZEM PROTESTO CONTRA A NÃO ABERTURA DA CENTRAL DE AGRICULTURA FAMILIAR

Cerca de 1.800 agricultores familiares de 50 municípios de várias regiões do Estado – Oeste, Seridó, Mato Grande, Potengi, Trairi e Área Canavieira – são esperados em Natal nesta quinta-feira (09). Eles vão se concentrar a partir das 8h em frente à Central de Comercialização da Agricultura Familiar localizada na esquina da Rua Jaguarari e Avenida Mor Gouveia, no bairro de Lagoa Nova. No local, farão um ato público contra a Central ter sido construída há três anos e nunca ter aberto para a venda dos produtos deles. Em seguida, às 10h, seguirão em caminhada até a Governadoria, onde pretendem ser recebidos pela governadora Rosalba Ciarlini. Eles vão apresentar ao Governo uma pauta de ações para o convívio com a estiagem. [caption id="" align="aligncenter" width="480"] Foto: Arquivo/MDA[/caption] Entre as reivindicações está a perfuração de 550 poços tubulares e recuperação de outros 250; implantação de tecnologias para o armazenamento de água para a produção da agricultura familiar, como barreiro trincheira lonado, barragem subterrânea, cisterna calçadão, cisterna de enxurrada e bomba popular. Que o Governo viabilize assessoria gerencial, técnica e pedagógica aos agricultores familiares que são beneficiados pelos PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável) e por outras tecnologias de convivência com o semi-árido; que sejam distribuídas 20 mil toneladas de milho entre os agricultores para que sirvam de ração para o gado; que o Governo reponha o rebanho perdido durante o período da estiagem e crie a Secretaria Estadual da Agricultura Familiar para prestar atenção especial aos pequenos produtores. Segundo o coordenador geral da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do RN (FETRAF-RN), João Cabral, as chuvas que têm caído aliviam a situação, mas não resolvem os prejuízos contabilizados pelos pequenos agricultores, que perderam o gado e a plantação por causa da seca. “Todos sabemos que a cada oito a 10 anos, enfrentamos uma grande seca, então, precisamos nos preparar para esse convívio com a estiagem, nos prevenindo para os períodos sem chuva: necessitamos de providências imediatas e a médio e longo prazos”, aponta Cabral.   Fonte: Assessoria de Imprensa
× Fale no ZAP