Futura chefe da Polícia Civil vai precisar de habilidade para “segurar” a categoria

26 dez por João Ricardo Correia

Futura chefe da Polícia Civil vai precisar de habilidade para “segurar” a categoria

A futura chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, delegada Ana Cláudia Saraiva Gomes (FOTO), sempre demonstrou desenvoltura para o diálogo e circula bem no meio político. Essas duas qualidades foram evidenciadas recentemente, quando ela presidiu a Adepol, Associação que representa sua categoria. Mas a partir do próximo mês, como se diz popularmente, “o buraco é mais embaixo”: além da falta de estrutura e da defasagem de pessoal, encontrará profissionais revoltados e desacreditados nas promessas de gestores como Robinson Faria, governador que termina o mandato dia 31 próximo, deixando milhares de pais e mães de famílias com salários atrasados.

Agentes, escrivães e delegados de Polícia Civil vivem a expectativa de como será a gestão de Fátima Bezerra, revelada no movimento sindical, que foi deputada estadual, deputada federal, ainda ocupa o cargo de senadora e foi eleita governadora do RN. Teoricamente, a futura chefe do Executivo Estadual deve ser preparada para conviver com protestos e outros movimentos de servidores, uma vez que ganhou notoriedade também por liderar diversas greves.

Saber se Ana Cláudia terá habilidade para intermediar os interesses da gestão petista junto aos “companheiros” da Polícia Civil é uma questão de tempo. A categoria, segundo fontes deste informativo, estaria dando crédito à futura líder, no entanto, depois dos últimos quatro anos de arrocho, não estaria disposta a esperar muito para poder voltar a receber os salários em dia e ver investimento, principalmente na qualificação profissional.

Por João Ricardo Correia

 

ByJoão Ricardo Correia

Formado em Comunicação Social pela UFRN. Experiências profissionais em rádio, jornais, TV, informativos virtuais e assessorias de imprensa. Editor do Companhia da Notícia.

Deixe seu comentário

× Fale no ZAP