Expofruit 2016 tem expectativa de movimentar R$ 40 milhões em negócios

20 set por João Ricardo Correia

Expofruit 2016 tem expectativa de movimentar R$ 40 milhões em negócios

expofruit_2016
Com o tema “Mais Longevidade para você e seus Negócios”, a Feira Internacional da Fruticultura Tropical Irrigada – Expofruit, principal evento do setor no Brasil, acontece de 21 a 23 de setembro, no Expocenter/UFERSA, em Mossoró, com a expectativa de movimentar R$ 40 milhões e de receber um público de cerca de 15 mil pessoas nos três dias da feira.

A Expofruit está completando vinte anos de realização da feira, gerando oportunidades de negócios, estímulo a produção e a divulgação das frutas produzidas no Rio Grande do Norte. “Temos uma expectativa muito grande em relação a feira. Prevemos que conseguiremos atingir nossos objetivos ao integrar os membros da cadeia produtiva, ampliar os negócios e mostrar a importância do setor para a região de Mossoró e para o Rio Grande do Norte”, afirma Luiz Roberto Barcelos, presidente do Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (Coex), organizador do evento.



Rodadas de negócios

A Rodada Nacional de Negócios, que este ano terá um foco mais regional, acontece nos dias 21 e 22 de setembro, das 18h às 23h, no Espaço SEBRAE. A rodada proporciona, através de reuniões previamente agendadas, um ambiente propício para a realização de negócios entre compradores e potenciais fornecedores, além de englobar todo o setor da fruticultura que produza frutas em seus diferentes estados (orgânicas, frescas, secas e desidratadas) e produtos de valor agregado (sucos concentrados, purês e polpas).
Este ano a novidade da rodada será o foco mais regional e a presença de dezoito redes de supermercado do Rio Grande do Norte. “Esse foco mais regional vai atrair mais oportunidade de negócios para essas redes de supermercado crescerem e identificarem o potencial da fruticultura do nosso estado, além de aproximar os pequenos produtores dos grandes mercados. Para isso foi realizada uma capacitação pelo Sebrae/RN com alguns dos ofertantes que participarão da rodada”, explica Franco Marinho, gestor de fruticultura do Sebrae/RN.

Minicursos e palestras

A programação científica acontece nos dias 20 e 21 de setembro, no Prédio da Pós-graduação em Fitotecnia da UFERSA, com a realização dos minicursos: Produção de Uva Irrigada em Sistema de Agricultura Familiar com professor Django Jesus Dantas (UFERSA), Sistema e Manejo de Irrigação de Baixo Custo para Agricultura Familiar, com o analista da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Tibério Santos Martins da Silva, e Citricultura com professor Gustavo Alves Pereira (UFERSA).

Os ciclos de palestras serão realizados nos dias 22 e 23 de setembro, no Auditório do CTARN (UFERSA) com os temas: Apresentação da Área Livre de Praga Anastrepha Grandis RN/CE com Marcus Vinícius de Araújo, Diretor de Defesa Vegetal do RN, e José Tito Carneiro, Diretor de Defesa Vegetal do CE; Registro de Agrotóxicos para Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente e seus Impactos na Produção e Comercialização com Marcos Botton, pesquisador entomologia da Embrapa Uva e Vinho de Bento Gonçalves/RS, e Tom Prado, presidente da Comissão Nacional de Fruticultura da CNA; Fiscalização Integrada de Agrotóxicos no Estado do CE com Daniel Aguiar da Agência de Defesa Agropecuária do Ceará – ADAGRI/CE; Manejo Fitossanitário de Cucurbitáceas com os professores da Ufersa Daniel Valadão, Elton Lucio e Rui Sales; Extratos Vegetais no Controle de Pragas em Frutíferas com o pesquisador da Emparn, Marcone César Mendonça das Chagas; Tecnologia de Aplicação em Frutíferas com Antônio Domingos Duarte representante da Bayer; Tecnologia Pós-colheita de Frutas com a professora da Ufersa, Elizangela Cabral dos Santos; Desafios da Apicultura no Semiárido com a professora da Ufersa, Katia Gramacho, o representante do Consórcio Apícola Flora Pascoal e Raimundo Roberto Filho, Cláudia Quaglierini, da Bayer; Reestruturação Empresarial e Agronegócio – Segurança Jurídica em Tempo de Crise com o advogado Francisco de Assis Costa Barros, da Costa Barros Advogados.

Na programação, os painéis empresariais: Resultados de Pesquisa e Usos Práticos de Algas Ascophyllum nodosum em Fruticultura de Exportação com Marcos Bettini, da Acadian Seaplants; Sementes e Brotos na Construção de um novo modo de Organização Produtiva, Social e Política nos Espações Rurais: A experiência da Embrapa no Alto Oeste Potiguar com os pesquisadores Ênio Girão e Helenira Ellery, da Embrapa/CE; Usinas Solares Fotovoltaica para Produtores Rurais com Thiago Eslley de Lima Medeiros, da Energy Soluções em Engenharia e Mercado Orgânico de Frutas no Nordeste com o professor Francisco Nildo da Silva, da Orgânico Baturite.

Eventos paralelos

Além da programação científica, a Expofruit terá eventos paralelos como o Encontro do Comitê Gestor de Cajucultura, Apresentação de Trabalhos Científicos, apresentação dos banners, visita Pomar Didático da UFERSA, entre outros.
Uma novidade este ano na feira é a realização do Seminário Hortifrúti: Mercado e Qualidade, que acontece no dia 22 de setembro, das 14h às 18h, Auditório do SEBRAE/Mossoró, direcionado para redes de supermercados do Rio Grande do Norte. O seminário terá as palestras sobre “Inteligência de Mercado” com a consultora do Sebrae, Maiza Pinheiro Dantas Pessoa, e “Mercado Hortifrúti no Brasil” com o representante da Rede Mais Supermercados e por fim a Mesa Redonda: Oportunidades e Desafios com Geraldo José Medeiros, da FrutFrios, Ricardo Valença Gomes, do Sindicato das Indústrias de Polpa de Sucos e Derivados Não-alcoólicos – Sindfrutas/RN, Luciano Diógenes, da Rede Oeste Supermercados, e o produtor Ubiratan Carvalho de Oliveira, da Fazenda Frumel.

O Setor

Atualmente, o setor emprega diretamente 20 mil pessoas na região de forma direta e mais 50 mil postos de trabalho são beneficiados de forma indireta, o melão continua sendo o carro-chefe da produção frutícola da região seguido por melancia, mamão e banana. Os frutos são destinados ao consumo interno e a exportação principalmente para países da Comunidade Europeia como: Inglaterra, Holanda, Espanha, entre outros. Somente em 2015 a produção e exportação de frutas geraram um volume de negócios de mais de US$ 98 milhões para o Rio Grande do Norte. Além de que também beneficiaram a população por meio da contribuição em impostos aos governos municipal, estadual e federal.

Um importante fator que contribui para a boa aceitação do melão mossoroense no mercado externo é o reconhecimento da qualidade da fruta produzida na região, que desde 2013 conta com selo de Indicação Geográfica de Origem, reconhecido mundialmente como indicativo de qualidade. A certificação foi concedida após cinco anos de aprimoramento da fruta produzida na região.

Sobre Expofruit

Considerada o evento de fruticultura tropical irrigada mais importante do Brasil, a Expofruit conquistou a atenção de grandes investidores. A feira tem como objetivo o apoio ao setor frutícola potiguar, garantindo a participação de produtores de todo o estado em um evento que viabilize a comercialização da produção e promova novos negócios, inclusive exportações. O evento é realizada por meio de uma parceria entre o Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (COEX), o SEBRAE – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte, a Universidade Federal Rural do Semiárido – Ufersa.

Serviço:
Evento: Feira Internacional de Fruticultura Tropical Irrigada – Expofruit 2016
Data: 21 a 23 de setembro
Local: Expocenter – Campus da UFERSA, – Mossoró/RN
Twitter: @expofruit
Facebook: www.facebook.com.br/Expofruit
Site: www.expofruit.com.br
Fonte: Contexto Comunicação

ByJoão Ricardo Correia

Formado em Comunicação Social pela UFRN. Experiências profissionais em rádio, jornais, TV, informativos virtuais e assessorias de imprensa. Editor do Companhia da Notícia.

Deixe seu comentário

× Fale no ZAP